O termo Internet das Coisas, Internet of Things, IOT ou ainda Internet de Todas as Coisas (Internet of Everything – IoE) refere-se a todo e qualquer tipo de comunicação e conexão realizada entre dispositivos e equipamentos baseadas em comunicações ou protocolos da Internet de uma ou outra forma.

O termo Internet das Coisas, Internet of Things, IOT ou ainda Internet de Todas as Coisas (Internet of Everything – IoE) refere-se a todo e qualquer tipo de comunicação e conexão realizada entre dispositivos e equipamentos baseadas em comunicações ou protocolos da Internet de uma ou outra forma.

Qualquer coisa que tenha a capacidade de se comunicar através de métodos eletrônicos e sem fio é certamente parte do IoT. O termo foi utilizado inicialmente pelo Sr. Peter Lewis em 1985, mas é tão antigo quanto a invenção de sensores e dispositivos que podem se comunicar com a internet ou qualquer tipo de rede de comunicação.

A Internet das Coisas (do termo em inglês, Internet of Things, IoT), define uma rede de objetos físicos, veículos, prédios e outros que possuem tecnologia embarcada, sensores e conexão com rede capaz de coletar, transmitir e receber dados.

Esta tecnologia e tendência surgiram a partir da evolução e avanços em várias áreas como sistemas embarcados, microeletrônica, computação, comunicação, segurança e sensoriamento. De fato, os avanços da IoT tem sido recebidos com bastante atenção e entusiasmo pela indústria, desenvolvedores e pelo público em geral, devido ao seu imenso potencial de aplicação nas mais diversas áreas das atividades humanas.

A Internet das Coisas, em poucas palavras, nada mais é que uma extensão da Internet atual, que proporciona que objetos e acessórios de uso comum (quaisquer que sejam), possuam também capacidade computacional e de comunicação, conectando-se à Internet e compartilhando recursos. A conexão com a rede mundial de computadores viabiliza, entre outras coisas, o controle e monitoramento remoto dos objetos e, possibilitando, inclusive que os próprios objetos sejam acessados como provedores de serviços e aplicações. Estas novas características, embarcadas em objetos comuns, geram um número absurdamente grande de oportunidades, tanto em aplicações pessoais, quanto em no nível industrial. De qualquer forma, apesar de todos os benefícios e possibilidades, apresentam também diversos riscos que acarretam em grandes desafios técnicos para uma real aplicação efetiva e consciente em escala global.

Imagine todos os seres humanos na terra com um sensor eletrônico que se comunica com um sensor similar carregado por outra pessoa e, em seguida, cada ser humano no planeta poderia estar conectado a uma única plataforma, com a tecnologia IoT isso seria realmente possível. O endereço MAC (MAC Address) e uma pequena quantidade de energia de transmissão é suficiente para estabelecer a comunicação. Os endereços IP versão 4, tem a limitação de um número máximo de 4,3 bilhões endereços IP que podem ser criados, porém mesmo em conjunto com o IPv4, o advento do IoT cria a possibilidade de conectividade entre 26 bilhões de dispositivos em todo o mundo, pois tudo é baseado em qualquer método de comunicação possível, não somente em comunicações baseadas em IP. Se pensarmos em termos do IPv6 este número cresce exponencialmente, podendo ser considerado praticamente infinito e possibilitando que tenhamos conectados a essa grande rede praticamente qualquer dispositivo que venhamos a desenvolver.

IoT pode possibilitar a conexão de todo e qualquer dispositivo que possua alguma informação ou necessite de algum tipo de controle. Assim, a tecnologia cria a possibilidade de tornar nosso mundo cada vez mais inteligente, onde tudo está conectado. Podemos pensar, por exemplo em carros conectados e autônomos, casas totalmente automatizadas, empresas e equipamentos industriais com maior capacidade de automação e eficiência, tudo se conectando e trocando informações de maneira inteligente. As inúmeras oportunidades e enormes benefícios criados por está conectividade praticamente ilimitada podem levar a vida e bem-estar da população humana a novos patamares, e aproveitar ao máximo as diversas tecnologias de conexão como WiFi, LiFi, 3G, 4G, 5G, LTE, entre outras disponíveis.

A Internet das Coisas pode ser comparada a uma grande rede social para dispositivos, equipamentos e produtos eletrônicos e digitais, todos interagindo em um mundo conectado. IoT tem impacto direto em nossas vidas, desde uma casa onde tudo está conectado como a geladeira, cafeteira, climatização (HVAC), som ambiente e tudo o que é controlado por um pequeno aplicativo ou assistente em nosso smartphone ou tablet, ou ainda abrindo a porta do nosso carro e ajustando nossas preferências através do celular, entre outras inúmeras possibilidades. Nesta tecnologia praticamente tudo pode estar conectado e ter uma interação inteligente em algum nível. Da mesma forma, a IoT vai está em nosso escritório controlando a impressora através da rede sem fio, permitindo conversar através de um telefone IP ou VoIP, acessando as imagens do sistema de CFTV de nossa residência através do smartphone, acionando as cortinas, para otimizar a iluminação interna ou mesmo atendendo a uma pessoa que estiver tocando o interfone em nossa casa.

A segurança eletrônica, principalmente os sistemas de CFTV, já vem se adaptando a muito tempo a esta tendência, uma vez que há mais de 20 anos já existem câmeras IP, assim como cada vez mais, temos outros dispositivos e sistemas com comunicação e recursos baseados em rede, como sistemas de Controle de Acesso, automação, interfonia, telefonia, detecção, alarmes entre outros. Fazendo uso das tecnologias e protocolos disponíveis e criando suas próprias tecnologias e recursos que se agregam ao ecossistema da Internet das Coisas.

Toda essa tecnologia, com certeza, transformará nossas vidas e negócios, tornando tudo mais fácil e criando cada vez mais possibilidades. Mas apesar de todos estes benefícios, tudo deve ser muito bem projetado, desenvolvido e aplicado, uma vez que surgem diariamente perigos e ameaças provenientes da rede. Assim uma das principais preocupações deve ser a segurança, pois uma vez que tudo está conectado, os riscos de invasão, hackeamento, acesso indevido e intrusão não podem nem devem ser negligenciado, pois podem gerar uma série inominável de problemas. Da mesma forma, com a existência de bilhões de dispositivos conectados a rede e com o compartilhamento de dados, controle, aplicações e a presença de grande quantidade de dados relacionadas, forma um grande atrativo e motivo para a invasão. Assim, devemos ter em mente a importância de aplicar os recursos mais atuais de segurança e trabalhar de forma incessante para combater e melhorar as capacidades de proteção e segurança de nossas redes e dispositivos, de forma a minimizar as ameaças o máximo possível e ter a capacidade de identificar e atuar rapidamente em casos mais críticos.

Se desejar obter maiores informações sobre dispositivos, projetos, aplicações e tecnologias IoT (Internet das Coisas) entre em contato conosco em marcelo@guiadocftv.com.br.

Caso tenha dúvidas ou queira mais informações sobre este e outros assuntos, entre em contato comigo, pois terei o maior prazer em compartilhar meu conhecimento e trocar informações.

Eng. Marcelo Peres

mpperes@guiadocftv.com.br

GuiadoCFTV e CONASEG

Comentários