Inicio Gloss√°rio CFTV Gloss√°rio
Navegar pela letra
Todas | A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z | Outra
Navegar pela categoria
CFTV [337] | Tecnologia Digital e Redes [0] | Fibras √ďticas [0] | Todas as categorias[337]

C F T V

Termos comuns utilizados na √°rea de Circuito Fechado de Televis√£o
Nós correntemente temos 337 entradas neste dicionário.

Imprimir em formato amig√°vel Enviar este termo a um amigo 10Base-2

Os cabos 10Base2, tamb√©m chamados de cabos coaxiais finos, ou cabos Thinnet, s√£o os cabos coaxiais usados em redes Ethernet de 10 megabits. Seu di√Ęmetro √© de apenas 0.18 polegadas, cerca de 4.7 mil√≠metros, o que os torna razoavelmente flex√≠veis. O "10" na sigla 10Base2, significa que os cabos podem transmitir dados a uma velocidade de at√© 10 megabits por segundo, "Base" significa "banda base" e se refere √† dist√Ęncia m√°xima para que o sinal pode percorrer atrav√©s do cabo, no caso o "2" que teoricamente significaria 200 metros, mas que na pr√°tica √© apenas um arredondamento, pois nos cabos 10Base2 a dist√Ęncia m√°xima utiliz√°vel √© de 185 metros. Usando cabos coaxiais n√£o √© necess√°rio utilizar um hub, mas em compensa√ß√£o a velocidade da rede fica limitada a apenas 10 megabits. Outro problema √© que esta topologia √© muito suscept√≠vel a problemas de mal contato, principalmente em redes com mais de 5 PCs.
Atualmente os cabos coaxiais são cada vez menos usados, já que além de menos susceptíveis a problemas, os cabos de par trançado categoria 5 suportam transmissão de dados a 100 megabits, ou até mesmo 1 gigabit, caso sejam utilizadas placas de rede Gigabit Ethernet.

Imprimir em formato amig√°vel Enviar este termo a um amigo 10Base-T

Este é o padrão de redes Ethernet de 10 megabits, onde são utilizados cabos de par trançado. O 10 no nome indica justamente a velocidade máxima de transmissão de dados. Apesar de 10 megabits corresponderem a 1.25 megabytes por segundo, na prática a velocidade de transmissão dificilmente ultrapassa os 800 kb/s, pois junto com os dados são transmitidos sinais de modulação, bits de correção de erros etc. As placas de 10 megabits já caíram em desuso a algum tempo, pois todas as placas PCI atuais transmitem a 100 megabits. Apesar disso, as placas de 100 megabits mantém compatibilidade com o padrão anterior.

Imprimir em formato amig√°vel Enviar este termo a um amigo 2.5G

A primeira geração de celulares ou 1G, ainda composta por modelos analógicos, surgiu durante a década de 70, se popularizou durante a década de 80 e continuou sendo usada durante boa parte da década de 90. Os celulares analógicos são pouco mais sofisticados que os aparelhos de rádio amador e não são muito adequados para a transmissão de dados.
No in√≠cio da d√©cada de 90 surgiram os celulares digitais, a segunda gera√ß√£o, ou 2G, composta pelos padr√Ķes CDMA, TDMA e GSM. Apesar de j√° trabalharem com transmiss√Ķes digitais, a velocidade de transmiss√£o de dados √© muito baixa. Que o digam os usu√°rios do Wap.
Os celulares 2.5G representam uma grande evolução em termos de transmissão de dados, pois utilizam transmissão por pacotes, o que significa que os celulares ficam constantemente conectados à Web e o usuário paga apenas pelos dados transmitidos, ao contrário do Wap, onde é cobrado por minuto de conexão. Outra vantagem do 2.5G é a maior velocidade. O padrão que está sendo implantado no Brasil permite a transmissão de dados a 144 kbps.

Imprimir em formato amig√°vel Enviar este termo a um amigo 3G

Os celulares de terceira geração, ou 3G estão começando a serem implantados no Japão e devem ainda demorar mais alguns anos para chegarem ao Brasil, onde ainda estamos vendo a transição do 2G para o 2.5G.
O principal atrativo deste novo padrão é a maior velocidade de transmissão de dados. Estamos falando de 2 megabits, contra apenas 14.4 k do Wap e 144 k dos celulares 2.5G.
Al√©m de oferecerem acesso r√°pido √† Web, os celulares 3G poder√£o ser utilizados para realizar videoconfer√™ncia e para streaming de v√≠deo (clipes, seriados, etc.). De fato, v√°rios prot√≥tipos de celulares 3G trazem chips decodificadores de v√≠deo em MPEG 2 ou MPEG 4, telas coloridas de alta resolu√ß√£o e c√Ęmeras de videoconfer√™ncia.
Assim como no 2.5G a transmissão de dados é feita através de pacotes, o que significa que o celular fica continuamente conectado à Web e o usuário paga apenas pelos dados transmitidos.
Um detalhe importante é que os 2 megabits são compartilhados entre todos os celulares cobertos por cada torre, o que significa uma velocidade muito mais baixa na prática, principalmente nos horários de maior movimento.

Imprimir em formato amig√°vel Enviar este termo a um amigo 4G

A quarta gera√ß√£o de telefones celulares ainda est√° em desenvolvimento, mas promete velocidades de transmiss√£o bastante superiores aos celulares 3G: entre 20 e 40 megabits. Os celulares 4G de vem come√ßar a ser usados no Jap√£o por volta de 2006, (s√≥ Deus sabe quando chegar√£o por aqui. O 4G aumentar√° ainda mais o potencial dos celulares como plataforma de entretenimento, al√©m de tornar a transmiss√£o de dados mais barata em rela√ß√£o aos padr√Ķes
anteriores.

Imprimir em formato amig√°vel Enviar este termo a um amigo 56Kflex

Veja: V.90

Imprimir em formato amig√°vel Enviar este termo a um amigo 802.11a

Veja: IEEE 802.11

Imprimir em formato amig√°vel Enviar este termo a um amigo 802.11b

Veja: IEEE 802.11

Imprimir em formato amig√°vel Enviar este termo a um amigo 802.11b+

Esta √© uma evolu√ß√£o do padr√£o de redes sem fio IEEE 802.11b desenvolvido pela DLink. Este n√£o √© um padr√£o aprovado pelo IEEE por isso √© chamado apenas "802.11+" e n√£o "IEEE 802.11+". O 802.11b+ √© suportado por um n√ļmero relativamente pequeno de produtos, mas traz como principal vantagem o aumento da taxa de transfer√™ncia a curtas dist√Ęncias, que segundo os fabricantes pode chegar a at√© 22 megabits, o dobro dos 11 megabits permitidos pelo 802.11b tradicional, ao mesmo tempo em que mant√©m compatibilidade com o padr√£o antigo.
A mudança é transparente para o usuário. Ao conectar dois dispositivos 802.11b+ ele se reconhecem e passam a trabalhar a 22 megabits. Caso sejam misturados com dispositivos 802.11b tradicionais a taxa de transmissão cai automaticamente para 11 megabits, respeitando a velocidade dos dispositivos mais lentos.
Vale lembrar que os 22 megabits s√£o atingidos apenas em dist√Ęncias muito curtas, apenas alguns metros. A partir da√≠ a velocidade cai vertiginosamente, se aproximando cada vez mais da velocidade dos transmissores 802.11b tradicionais.

Imprimir em formato amig√°vel Enviar este termo a um amigo 802.11g

Veja: IEEE 802.11

Imprimir em formato amig√°vel Enviar este termo a um amigo √Ābaco

R√©gua Tabular de c√°lculo onde s√£o definidos valores de acordo com escalas pr√©-determinadas. Em CFTV consiste de um circulo com 3 eixos m√≥veis que determinam o tamanho da lente de acordo com o formato e a dist√Ęncia focal conseguida com esta lente para determinada dist√Ęncia.

Imprimir em formato amig√°vel Enviar este termo a um amigo Aberra√ß√£o

Aberra√ß√£o ou Aberration: termo t√©cnico de √ďptica, para designar qualquer fator que influencie na fidelidade de uma imagem, em rela√ß√£o ao original.

Imprimir em formato amig√°vel Enviar este termo a um amigo Abertura

Abertura em uma lente, que controla a quantidade de luz que atinge a superf√≠cie do dispositivo captador. A dimens√£o dessa abertura √© controlada com o ajuste do √≠ris. Conforme √© aumentado o n√ļmero ‚ÄėF-stop‚Äô (F/ 1.4, F/1.8, F/2.8) √© diminuida a quantidade de luz direcionada pela lente ao sensor.

Imprimir em formato amig√°vel Enviar este termo a um amigo Abertura

A "abertura" de uma lente, √© uma medida de sua capacidade de cap√ß√£o de luz. A Abertura Relativa √© a raz√£o entre sua dist√Ęncia focal e a abertura efetiva, medida em n√ļmeros F (F-Number), geralmente quanto menor melhor, ou seja quanto menor o n√ļmero F melhor ser√° a passagem de luz pela lente.

Imprimir em formato amig√°vel Enviar este termo a um amigo AC

Aternating Current, corrente alternada. A forma como a eletricidade vem a partir da usina e consequentemente a partir das tomadas. A direção é alternada 60 vezes por segundo (50 na Europa). A alimentação em um ciclo é positiva e em outro negativa na forma senoidal. Veja também: DC

Imprimir em formato amig√°vel Enviar este termo a um amigo AC-DC

Corrente alternada / corrente contínua.
Também define os equipamentos que podem operar tanto com alimentação contínua como alternada.

Imprimir em formato amig√°vel Enviar este termo a um amigo Access

Acesso. Leitura ou gravação de dados na memória RAM ou em outro meio qualquer, como um disco rígido. Os tempos de acesso variam muito de acordo com o dispositivo, por exemplo, a
memória RAM pode ter tempos de acesso de 70, 60, 50, 10, 8, 7 ou mesmo 6 nanossegundos, dependendo da tecnologia usada. O HD por sua vez é muito mais lento, com tempos de acesso na casa dos 8 ou 9 milessegundos num HD atual.
O tempo de acesso determina apenas o tempo necessário para o dispositivo começar a transferir dados e não a sua velocidade de transferência. Um módulo de memória PC-133 pode transferir
dados, em condi√ß√Ķes ideais, a 1066 MB/s, enquanto um HD topo de linha chega perto dos 50 MB/s. Veja que o HD demora por volta de um milh√£o de vezes mais tempo para come√ßar a transferir dados, mas depois que inicia a transfer√™ncia, a diferen√ßa cai para cerca de 20 vezes. Naturalmente, tanto a mem√≥ria RAM quanto o HD s√£o muito mais lentos que o processador, tanto em termos de tempo de acesso quanto em termos de velocidade de transfer√™ncia. Por exemplo, um Athlon de 1.5 GHz executa um bilh√£o e meio de ciclos por segundo e processa 32 bits de dados em cada ciclo. Ou seja, em condi√ß√Ķes ideais o processador precisa de dados a cada 0,66 nanossegundo e processa 6 gigabytes de dados por segundo. Para diminuir a diferen√ßa entre o processador, a mem√≥ria RAM e o disco r√≠gido, s√£o usadas v√°rias categorias de mem√≥ria cache, r√°pidas o bastante para acompanhar o processador. Leia tamb√©m: Cache, Cache L1, Cache L2, Cache L3, Cache de Disco.

Imprimir em formato amig√°vel Enviar este termo a um amigo Access Point

Access Point ou (AP)
Veja: Ponto de Acesso;

Imprimir em formato amig√°vel Enviar este termo a um amigo Access Time

Tempo de acesso, o tempo que o dispositivo acesso demora para entregar os dados requisitados, ou armazenar a informação desejada. Quanto mais baixo for o tempo acesso, mais rápido será o dispositivo. Na memória RAM o tempo de acesso é medido em nanossegundos, sendo que as memórias SDRAM mais rápidas chegam a 6 nanos. Em HDs o tempo de aceso é bem mais alto, medido em milessegundos. Os HDs mais rápidos chegam a 8 milessegundos.

Imprimir em formato amig√°vel Enviar este termo a um amigo Acelera√ß√£o de V√≠deo

Placas de v√≠deo mais antigas, como as CGA e EGA usadas em micros 286, assim como as primeiras placas padr√£o VGA n√£o possu√≠am acelera√ß√£o de v√≠deo. Isto significa que elas limitavam-se a mostrar na tela as imagens enviadas pelo processador. Este tipo de placa funcionava bem em ambientes texto como o DOS, onde a quantidade de informa√ß√Ķes a ser mostrada no v√≠deo √© pequena. Em ambientes gr√°ficos como o Windows 95/98 por√©m, uma quantidade enorme de dados deve ser processada para formar a imagem. Usando uma placa
sem aceleração, todo o trabalho tem que ser feito pelo processador, tornando o sistema bastante lento.
Uma placa aceleradora alivia a carga sobre o processador, executando muitas das tarefas que antes cabiam a ele. Ao arrastar uma janela por exemplo, o processador apenas transmitirá à placa de vídeo: "Arrastar a janela x para a posição y" e a placa de vídeo fará o resto do trabalho. Todas as placas de vídeo atuais possuem estes recursos. Se você abrir o painel de controle do Windows, e abrir a janela "sistema", encontrará uma guia que permite diminuir ou mesmo desativar a aceleração de vídeo, o que obviamente só deverá ser feito no caso de
problemas com a placa. Vale lembrar que esta aceleração visa apenas diminuir o trabalho do processador quando lidamos com imagens bidimensionais, não tendo nada a ver com a geração de gráficos 3D.
√Č extramemente importante a utiliza√ß√£o de placas aceleradoras de v√≠deo em sistemas de captura de imagem de CFTv, pois este tipo de placa ir√° garantir imagens de melhor qualidade e com uma taxa de melhor atualiza√ß√£o.

Imprimir em formato amig√°vel Enviar este termo a um amigo ACK

Abreviatura de Acknowledge, indica o reconhecimento ou aceita√ß√£o de um comando ou fun√ß√£o por parte de um sistema. √Č um comando suportado por v√°rios sistemas e v√°rios servi√ßos e arquiteturas de rede, que confirma o recebimento de um pacote de dados, mensagem ou comando.

Imprimir em formato amig√°vel Enviar este termo a um amigo ACPI

Advanced Configuration and Power Interface. √Č o modo de economia de energia utilizado pelos PCs atuais. Micros mais antigos suportam o DPMA, que √© o modo anterior. A diferen√ßa b√°sica √© que no ACPI o gerenciamento de energia √© feito pelo sistema operacional e n√£o pelo BIOS. Isso permite um gerenciamento muito mais avan√ßado, permitindo recursos como diminuir a frequ√™ncia de opera√ß√£o do processador (um recurso incomum em desktops, mas presente na
maioria dos notebooks), desligar dispositivos, etc.
Graças ao ACPI, os PCs atuais permitem um gerenciamento de energia muito mais sofisticado que os antigos, onde era possível apenas desligar o monitor e o HD. O avanço veio na forma de dois novos modos, o modo de espera e o hibernar. Ao entrar em modo de espera, não apenas o HD e o monitor, mas quase todo o PC é desligado, incluindo o processador, o cooler, placa de vídeo ou som, etc. Apenas a memória RAM, partes da placa mãe, modem e placa de rede continuam ativos.
A mem√≥ria RAM continua sendo alimentada para manter os dados gravados e permitir que o PC volte exatamente onde estava. √Č a √ļnica parte do PC que realmente n√£o pode ser desligada sem que seja necess√°rio um novo boot. O modem permanece ligado para que a conex√£o n√£o caia e a placa de rede permanece alerta para acordar o PC caso o recurso de wake-on-lan esteja ativado no Setup.
Em modo de espera o PC consome de 15 a 20 Watts de energia, o mesmo que uma l√Ęmpada fluorescente e pode voltar √† atividade em poucos segundos. Note que apenas o cooler do processador √© desligado, o exaustor da fonte continua funcionando, pois ainda √© necess√°rio que ela forne√ßa uma quantidade razo√°vel de energia.
Para que a opção de entrar em modo de espera esteja disponível, é necessário que a sua placa mãe ofereça suporte a ACPI. O Windows 98/2000 é capaz de detectar isto e ativar ou não o suporte automaticamente. Veja que isto inclui apenas placas razoavelmente recentes, e mesmo assim o suporte pode ser desativado caso você tenha alguma placa ISA que não suporte este recurso.
Como op√ß√£o, existe o hibernar (ou suspender) onde o conte√ļdo da mem√≥ria RAM √© gravado no HD e o PC √© realmente desligado. Ao liga-lo novamente o sistema simplesmente recupera os dados e tamb√©m volta exatamente onde estava. O tempo necess√°rio depende da quantidade de mem√≥ria RAM que estiver instalada, quanto mais mem√≥ria maior ser√° o arquivo no HD e mais demorar√°. Mas, geralmente ainda ser√° bem mais r√°pido que um boot completo.

Imprimir em formato amig√°vel Enviar este termo a um amigo Acrobat

Formato de arquivo desenvolvido pela Adobe que permite que documentos sejam exibidos em qualquer micro com as fontes e layout corretos, alem de também suportar imagens, tabelas e recursos de segurança. A Adobe lançou no mercado dois produtos relacionados ao formato, o Acrobat Reader que permite apenas visualizar os arquivos e é gratuíto e o Acrobat Writer, que permite gerar os arquivos e é pago.

Imprimir em formato amig√°vel Enviar este termo a um amigo Active Directory

Este é um recurso presente no Windows 2000 Server e Windows XP Server (quando for lançado) que cria uma interface para a administração dos recursos de rede. Usando o Active Directory o
administrador pode visualizar e modificar todos os recursos da rede de forma centralizada, ao invés de ter fazê-lo micro por micro. O Active Directory é baseado no LDAP e é uma resposta direta ao NDS do Novell Netware.

Imprimir em formato amig√°vel Enviar este termo a um amigo ActiveX

Linguagem que pode ser usada para construir p√°ginas Web din√Ęmicas, com scripts que rodam a partir do servidor. Apesar dos recursos, o ActiveX peca pelas incompatibilidades com v√°rios browsers, bugs, sobrecarga do servidor devido √† grande quantidade de processamento exigido e brechas de seguran√ßa. Apesar de tudo, muitos acreditam que o ActiveX √© o futuro da Web.

Imprimir em formato amig√°vel Enviar este termo a um amigo Actuator

Num HD, √© o mecanismo de movimenta as cabe√ßas de leitura. Basicamente √© composto por um bra√ßo m√≥vel em forma de tri√Ęngulo. Na ponta do tri√Ęngulo encontram-se as cabe√ßas de leitura do HD, enquanto na base temos um eixo e dois eletro√≠m√£s, que controlados pela placa l√≥gica do HD movimentam o mecanismo com uma velocidade e precis√£o espantosas. Em HDs muito antigos e em drives de disquete, √© utilizado um motor de passo no lugar do actuator, por isso esses dispositivos s√£o extremamente lentos.

Imprimir em formato amig√°vel Enviar este termo a um amigo AD

A/D (Analogical / Digital): referente à conversão do formato analógico para o digital.

Imprimir em formato amig√°vel Enviar este termo a um amigo Adaptador de Montante C para CS

Anel distanciador met√°lico de 5mm usado para habilitar o uso de lentes montante C em c√Ęmeras montante CS.

Imprimir em formato amig√°vel Enviar este termo a um amigo Adaptive Compression

Algoritmo inteligente de compressão que altera o nível de compressão de acordo com o tipo de dados. Um exemplo de uso são vídeos, onde as cenas de maior movimentação devem receber um nível mais baixo de compressão do que as cenas de diálogos, onde há poucas mudanças de imagem.

Imprimir em formato amig√°vel Enviar este termo a um amigo ADC

Analogue-to-Digital Converter, componente que faz conversão de um sinal analógico para digital.
Todas as placas de som possuem um ADC, responsável por digitalizar os sons analógicos vindos do microfone ou outro dispositivo analógico qualquer.
Muito utilizado em sistemas industriais para aquisição de dados para
CLPs, controle de processos e e outras leituras.
Veja também: DAC.

(1) 2 3 4 5 6 ... 12 »

[ Retornar | Retornar a página principal do módulo ]




ÔĽŅÔĽŅÔĽŅ

An√ļncios

Inscreva-se em nossa lista de e-mails

An√ļncios

Enquetes

Qual o melhor sistema de CFTV atualmente?
Analógico - CVBS 3% (7)
HDCVI 22% (52)
HDTVI 12% (29)
AHD 15% (35)
IP 38% (89)
HD-SDI 8% (20)
Total de votos: 232
Esta Enquete encerrou em 2017/7/31 0:00
1 Coment√°rio

Pesquisar nos Fóruns

Pesquisa Avançada

An√ļncios

Conte√ļdo Correspondente


style="display:block"
data-ad-format="autorelaxed"
data-ad-client="ca-pub-6290776660462717"
data-ad-slot="7712548665">

Facebook


An√ļncios

An√ļncios

Destaque

Design por: Angelo Rocha