Enviado por: sirleimadr em 15/09/2016 256 leituras

Informática Repetidor, extensor ou access point? Veja aparelhos para melhorar Wi-Fi

Repetidor, extensor ou access point? Veja aparelhos para melhorar Wi-Fi

É comum que a rede Wi-Fi apresente dificuldades para alcançar alguns pontos de uma residência, ou mesmo espaço comercial. Assim, há diversas formas de expandir a cobertura do sinal caso até mesmo um roteador potente não esteja dando conta. Entre os aparelhos que auxiliam na distribuição do Wi-Fi está o repetidor, o extensor de alcance e o access point, ou ponto de acesso. 






A seguir, conheça um pouco mais sobre os aparelhos. Cada uma das alternativas é indicada para uma necessidade diferente do usuário, mas todas prometem ajudar a melhorar o Wi-Fi. Além disso, no Brasil, grandes fabricantes oferecem os modelos por preços entre R$ 100 e R$ 380. 

Repetidor

Como o nome diz, o repetidor repete o sinal wireless de uma rede, permitindo que cubra uma área maior. O aparelho se conecta via Wi-Fi ao roteador/modem central e distribui sinal sem fio para dispositivos conectados no mesmo ambiente.

Em geral, o repetidor é mais acessível e simples, tornando-o uma boa opção para usuários domésticos e quem pretende investir pouco na hora de criar uma rede com maior cobertura, mesmo que isso signifique uma perda de desempenho perceptível na rede. A TP-Link, por exemplo, oferece modelos com preço médio de R$ 100.

Além disso, existe uma grande quantidade de roteadores no mercado que também podem ser configurados para funcionarem como repetidores.

Desvantagem: um ponto negativo no uso do repetidor é o fato de que esse tipo de dispositivo prejudica o desempenho de rede. Por usar sinal Wi-Fi para se comunicar com o roteador e com os aparelhos conectados, o repetidor acaba dividindo a banda pela metade. Além disso, o constante tráfego de informação wireless do aparelho pode congestionar o ambiente, deixando a rede ainda mais lenta.

Extensor de alcance

Muito parecido com o repetidor, o extensor de alcance se difere do tipo anterior em um ponto central: o aparelho costuma ser um dispositivo dedicado, ao contrário do repetidor, que pode ser configurado a partir de um roteador convencional.

Se o extensor é completamente wireless, seu funcionamento acaba emulando o de um repetidor, situação em que as vantagens e desvantagens vistas no exemplo anterior se repetem: é barato e fácil de usar, mas pode provocar perdas consideráveis de performance na rede, ainda que a área de cobertura seja aumentada.

Existe, no entanto, o extensor do tipo Powerline. O modelo usa a rede elétrica de uma residência para ampliar a cobertura da Internet em fio e, em geral, apresenta boa performance aliada com simplicidade de instalação. 

Para funcionar, o Powerline é vendido em par: um precisa ser ligado ao roteador e o outro no cômodo em que você deseja melhor cobertura sem fio. Boas opções em termos de usabilidade e desempenho, os adaptadores costumam ser bem mais caros do que os extensores normais, por preços entre R$ 150 e R$ 380.

Desvantagem: os pontos negativos dos extensores do tipo Powerline estão relacionados ao fato de que é preciso criar uma instalação mais complexa, com cabos, para que funcionem. Além disso, ao contrário do repetidor, que é um aparelho sem fio e independente, extensores funcionam aos pares, ou seja, se você quiser levar rede sem fio para um cômodo distante, terá que configurar um extensor nessa área e outro extensor na outra.

Esse tipo de dispositivo tem uma série de vantagens, mas a maior delas é o fato de que pode ser ligado ao roteador central via cabo de rede, o que significa que o sinal Wi-Fi distribuído como resultado não sofrerá perdas como as encontradas nos repetidores e extensores.

Mais configurável, o ponto de acesso costuma dispor de uma série de modos de uso, controles de banda e segurança que o tornam uma solução mais profissional para a questão da ampliação de cobertura de uma rede sem fio. Além disso, o dispositivo costuma ter mais potência, o que, somado ao fato de não causar perda de performance, acaba resultando em área de cobertura muito maior.

Desvantagem: a grande questão em torno dos pontos de acesso, ou access point, na comparação com as demais soluções de extensão de área de cobertura de uma rede Wi-Fi é o fato de que esses dispositivos tendem a ser um pouco mais caros, com preço médio de R$ 200.

origem: http://www.techtudo.com.br/noticias/n ... -para-melhorar-wi-fi.html


Sirlei Madruga de Oliveira
Editora do Guia do CFTV
sirlei@guiadocftv.com.br

Avalie esta notícia, mande seus comentários e sugestões. Encontrou alguma informação incorreta ou algum erro no texto?


Importante:

Todos os Conteúdos divulgados decorrem de informações provenientes das fontes aqui indicadas, jamais caberá ao Guia do CFTV qualquer responsabilidade pelo seu conteúdo, veracidade e exatidão. Tudo que é divulgado é de exclusiva responsabilidade do autor e ou fonte redatora.'