Enviado por: sirleimadr em 15/05/2017 176 leituras

Lançamentos e Releases Gocil Integras: plataforma integrada para a segurança ativa e eficiência operacional

Gocil Integras: plataforma integrada para a segurança ativa e eficiência operacional

Fruto de investimentos de mais de R$ 20 milhões em pesquisa e desenvolvimento, a solução PSIM une tecnologia, serviços e infraestrutura em uma única oferta






A Gocil, empresa especializada em segurança privada e limpeza, lançou na manhã desta quarta-feira (10) em um evento voltado à imprensa o Integras, uma nova oferta para oferecer consultoria completa em segurança eletrônica visando otimização de processos unindo tecnologia, serviços e infraestrutura baseado em uma plataforma PSIM (Physical Security Information Management).

A empresa aposta no investimento em inovação como uma das suas melhores estratégias para garantir a eficiência e excelência operacional de seus serviços. Para tanto, ela investiu cerca de R$ 20 milhões no desenvolvimento de uma plataforma integrada e inteligente, buscando revolucionar o mercado de segurança privada no Brasil. Em 2016, o seu faturamento atingiu R$ 1,2 bilhão e, com a iniciativa, a Gocil espera crescer 5% neste ano em território nacional.

Desenvolvido em parceria com a Ergos Group e a KapLogic Corporation, a plataforma integra diversas tecnologias – softwares, alarmes, sensores, chips e dispositivos de internet das coisas, entre outros -, que até o momento atuavam de maneira independente, e os fazem trabalhar em conjunto, com uma gestão integrada oferecida pela própria Gocil..

O resultado é o aumento da eficiência operacional e inteligência na execução de procedimento específicos, de acordo com a necessidade de cada cliente e aplicação.

Com o Integras, é possível prevenir riscos de segurança, permitindo a imediata tomada de decisões. O sistema ainda otimiza diversos processos internos em outras áreas, aumentando a eficiência e a produtividade. Para a Gocil, segurança é agir previamente, com estratégia e efetividade, reduzindo assim o número de ocorrências.

O sistema oferece pacotes de serviços personalizados, atendendo às necessidades de cada cliente em diferentes segmentos de atuação da Gocil, como hospitais, indústrias, centros logísticos, shopping centers, instituições de ensino, condomínios comerciais e residenciais, companhias de varejo, aviação, portos, usinas, arenas, entre outros.

Como explica César Leonel, diretor executivo da Gocil, toda a operação de segurança é terceirizada pela empresa e controlada remotamente pelo Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), localizado na Matriz da companhia, em São Paulo. Outra possibilidade é a da implementação do sistema PSIM no próprio site do cliente, com a operação interligada também ao CICC.

A conectividade é feita através da nuvem em uma abordagem híbrida,utilizando nuvem pública e privada da Microsoft. Para superar os desafios de disponibilidade de banda larga no Brasil, a Gocil trabalha com pontos intermediários de integração. “O cliente pode não ter acesso local a uma rede de banda larga suficiente para realizar o envio de dados e a comunicação com nosso CICC. Por isso, nós podemos montar redes específicas para chegar nesses pontos concentradores com a infraestrutura necessária e, a partir deles, nós enviamos os dados”, explica Ricardo Feriozzi Bacci, gerente de pesquisas e novas tecnologias da Gocil

De fato, o Integras é uma solução inédita no Brasil, integrando diversas tecnologias e serviços, ativando planos de ação e protocolos operacionais previamente definidos. A ênfase passa a ser na prevenção de ocorrências, tornando a segurança ativa e não reativa, como normalmente ocorre.

“No mercado brasileiro ninguém ainda trabalhou com uma solução integrada de serviços remotos e mão de obra”, aponta Leonel. “A plataforma que desenvolvemos é baseada na tecnologia PSIM que estabelece correlações entre procedimentos definidos, informações e ocorrências, otimizando recursos e aumentando a assertividade das ações. Fizemos grandes investimentos em servidores, com uma enorme capacidade de armazenamento e processamento, para receber essas soluções, pois os processos não deixam de existir: Eles só passam a funcionar totalmente integrados”, explica.

Casos de uso

Aplicado à segurança de um shopping Center, por exemplo, o Integras identifica ações suspeitas, como uma pessoa parada por muito tempo em frente a uma vitrine de joalheria, com atitudes incomuns para um consumidor. Por meio da integração à softwares de vídeo analítico, a plataforma envia um alerta ao sistema e o operador passa a atuar conforme procedimentos estabelecidos para aquele cliente.

Já em um Centro de Distribuição ou docas, o Integras pode atuar, por exemplo, em uma entrega agendada. Um veículo, ao chegar à portaria, tem a placa identificada pelo sistema de reconhecimento de placas (LPR) e o controle de acesso passa a ser feito pelo CICC, que observa tudo por meio de câmeras.

“Ao invés de colocarmos alguém para conferir o caminhão que chega ao centro de distribuição, teremos uma câmera para ler a placa e, se estiver pré-programado, abrir aquela cancela automaticamente. Vemos isso como uma forma de aumentar a eficiência operacional e otimizar a mão de obra, diminuindo os custos de operação”. Ressalta o diretor executivo da Gocil.

Um outro exemplo é a ronda remota por vídeo-verificação. Quando o Integras identifica um atraso do vigilante em algum ponto da sua ronda, a plataforma localiza o profissional via geoposicionamento e entra em contato por meio da tecnologia VoIP – tudo isso observado por câmeras e armazenado com segurança em banco de dados locais, em nuvem ou de forma híbrida.

https://youtu.be/xRBqCSIUAkc

origem: http://www.revistadigitalsecurity.com ... ciencia-operacional-23841




Sirlei Madruga de Oliveira
Editora do Guia do CFTV
sirlei@guiadocftv.com.br



Avalie esta notícia, mande seus comentários e sugestões. Encontrou alguma informação incorreta ou algum erro no texto?


Importante:

Todos os Conteúdos divulgados decorrem de informações provenientes das fontes aqui indicadas, jamais caberá ao Guia do CFTV qualquer responsabilidade pelo seu conteúdo, veracidade e exatidão. Tudo que é divulgado é de exclusiva responsabilidade do autor e ou fonte redatora.'