Enviado por: sirleimadr em 07/08/2017 94 leituras

CFTV Fazendeiros usam câmeras de segurança e constroem casa perto de animais para evitar abigeatos

Fazendeiros usam câmeras de segurança e constroem casa perto de animais para evitar abigeatos

Produtora de gado conta que prejuízo superior a R$ 15 mil fez com que ela e o marido investissem em segurança. Eles foram uma das vítimas que não tiveram o caso de roubo de gado solucionado no estado.






Nos 10 municípios com mais registros de roubo de gado no Rio Grande do Sul, o número de ocorrências chegou a 3.358 casos entre 2015 e 2016. O número se torna ainda mais assustador porque apenas 5,8% dos do total de abigeatos são solucionados. Os dados foram obtidos pela RBS TV com base na Lei de Acesso a Informações Públicas (LAI).

A realidade levou o casal de fazendeiros André Lichke e Claudinéia Wahlernk, de Tiradentes do Sul, no Noroeste do estado, a buscar proteção instalando câmeras de segurança e construindo uma casa nova, próxima ao local de criação dos animais.
Há dois anos, o casal começou a notar que os animais vinham sendo roubados. Segundo Claudinéia, seis cabeças de gado e três porcos sumiram neste período. Ela conta que a dificuldade para vigiar os animais fez com que tivessem um prejuízo superior a R$ 15 mil com os crimes de abigeato.
"Quando notamos pela terceira vez decidimos colocar câmeras. São mais de 12 no total", conta.
As câmeras do casal flagraram uma ação de criminosos levando alguns animais embora (confira no vídeo acima). Nas imagens, captadas no fim do ano passado, é possível observar um homem com um lenço no rosto levando uma vaca embora. Segundo a própria criadora, o criminoso conhecia a propriedade e, por isso, conseguiu praticar o roubo sem dificuldades.

"Ele sabia bem certinho como chegar ao local. É alguém próximo, que nós até desconfiamos, mas como a polícia não faz nada, o que nós vamos fazer?", questiona Claudinéia.

Ela e o marido decidiram, então, construir uma casa próximo ao local onde ficam os animais. Isso porque o casal morava no outro lado da cidade. Somente a partir dessa iniciativa o crime de abigeato deixou de ser registrado na propriedade deles.

"Esse ano que foi construída, em abril. Agora deu uma sossegada, porque nós frequentamos mais lá. Porque antes, mesmo com câmeras, não adiantou", relata.

A Polícia Civil, porém, garante que age para coibir o abigeato pelo Rio Grande do Sul. Uma força-tarefa criada para combater o crime já prendeu 114 suspeitos e desarticulou 17 quadrilhas.

Para o secretário de Segurança do estado, Cezar Schirmer, esse é o motivo da redução das ocorrências em 27% este ano na comparação com 2016. Uma das principais descobertas da equipe comandada pelo delegado Adriano Linhares é o envolvimento de funcionários de fazendas nesse tipo de crime.

origem: http://g1.globo.com/rs/rio-grande-do- ... tar-abigeatos-no-rs.ghtml




Sirlei Madruga de Oliveira
Editora do Guia do CFTV
sirlei@guiadocftv.com.br



Avalie esta notícia, mande seus comentários e sugestões. Encontrou alguma informação incorreta ou algum erro no texto?


Importante:

Todos os Conteúdos divulgados decorrem de informações provenientes das fontes aqui indicadas, jamais caberá ao Guia do CFTV qualquer responsabilidade pelo seu conteúdo, veracidade e exatidão. Tudo que é divulgado é de exclusiva responsabilidade do autor e ou fonte redatora.'