Enviado por: sirleimadr em 17/07/2018 83 leituras

Notícias em Destaque Como levar inteligência artificial ao cotidiano das pessoas?

Como levar inteligência artificial ao cotidiano das pessoas?

De forma geral, inteligência artificial (IA) significa a capacidade de uma máquina reconhecer imagens e palavras, mas também de aprender e raciocinar de maneira similar a uma pessoa. Dito dessa forma, parece que IA é uma tecnologia aplicada apenas para desempenhar tarefas altamente complexas, mas ela está mais presente no cotidiano das pessoas do que se pensa.






A Microsoft tem se empenhado em levar os benefícios da IA para todos, aplicando-a a vários de seus produtos no intuito de melhorar o que as pessoas fazem. O objetivo da empresa é disponibilizar IA para qualquer um, garantindo que as ferramentas e tecnologias utilizando o recurso sejam confiáveis.

Já existem impactos concretos da utilização da IA nesse contexto, seja ajudando a criar rapidamente uma apresentação do PowerPoint impressionante ou permitindo que pessoas de países diferentes se comuniquem, superando barreiras linguísticas.

A Microsoft também integrou IA a outros produtos tradicionais, como o Office 365, no qual a ferramenta pode ajudar a encontrar uma redação mais concisa, corrigir um erro de gramática ou informar o significado de uma sigla. Em buscas no Bing, a IA pode oferecer uma resposta direta à consulta ou resumir perspectivas diferentes sobre um tópico controverso.

Há aplicações da IA também na saúde das pessoas. Os avanços do recurso estão possibilitando que os cientistas saibam tratar câncer com mais eficiência, através de uma parceria com pesquisadores da Microsoft. A aprendizagem de máquina é utilizada em projetos como o InnerEye, que instrui sistemas para delinear tumores potencialmente cancerígenos.

Para desenvolver com sucesso as ferramentas de IA, a Microsoft baseia sua abordagem em três pilares: inovação de liderança, que amplia as capacidades da tecnologia; construção de plataformas poderosas, que tornam a IA mais rápida e acessível; e desenvolvimento de uma abordagem de confiança, com o intuito de que a IA seja criada e implementada de maneira responsável.

Cada um desses fundamentos pode ser encontrado diretamente nos produtos da Microsoft que chegam às pessoas. A inovação de liderança aparece na atualização de recursos de IA em ferramentas como o Bing ou no lançamento de novos produtos capacitados por IA, já que eles frequentemente são baseados em descobertas dos laboratórios de pesquisa da empresa.

Algumas das ferramentas de IA inovadoras desenvolvidas pela Microsoft são novidades no campo de reconhecimento de imagens, ao tomar a dianteira no uso de redes neurais residuais profundas para obter resultados mais precisos. Também há avanços na visão computadorizada e no reconhecimento de imagens para produtos como o Seeing AI, um aplicativo que ajuda pessoas cegas ou com visão limitada a desempenhar atividades como reconhecer dinheiro ou obter uma descrição de indivíduos ao seu redor. A Microsoft é, ainda, líder no campo de entendimento de leitura por máquina, que usa a IA para ler, responder e fazer perguntas.

Já a construção de plataformas poderosas se manifesta na criação de APIs e outras ferramentas, a fim de que desenvolvedores, clientes e cientistas de dados possam usá-las para adicionar IA em produtos e serviços existentes – ou para criar outros. Atualmente, mais de 760 mil desenvolvedores de 60 países estão usando o Cognitive Services para criar aplicativos com funções como reconhecer gestos, converter fala em texto ou identificar, legendar e moderar imagens.

Também há mais de 240 mil inscritos para usar o Azure Bot Service, que permite criar robôs capazes de interagir naturalmente com clientes em websites e aplicativos. Além disso, a Microsoft usa IA em seus próprios produtos, empregando robôs para ajudar seus usuários em ferramentas como o Microsoft Teams e o Skype. Todas as ferramentas funcionam com a plataforma de computação em nuvem Azure, presente em 36 regiões ao redor do mundo.

Por fim, o desenvolvimento de uma abordagem de confiança implica, para a Microsoft, reconhecer limitações dos sistemas de IA, que ainda são melhores para algumas tarefas que para outras. Também é necessário desenvolver e aplicar princípios claros para orientar as pessoas que criam, usam e aplicam sistemas de IA.

Origem: Tecmundo


Marcelo Peres

mpperes@guiadocftv.com.br

GuiadoCFTV

Avalie esta notícia, mande seus comentários e sugestões. Encontrou alguma informação incorreta ou algum erro no texto?

Importante: 'Todos os Conteúdos divulgados decorrem de informações provenientes das fontes aqui indicadas, jamais caberá ao Guia do CFTV qualquer responsabilidade pelo seu conteúdo, veracidade e exatidão. Tudo que é divulgado é de exclusiva responsabilidade do autor e ou fonte redatora.'

Quer enviar suas notícias? Envie um e-mail para noticias@guiadocftv.com.br