CFTV: Notícia antiga, problema atual

Enviado por: mpperesem 24/01/2007 2994 leituras
Uma ótima notícia para Porto Alegre, publicada no inicio de 2006 no site do estado do Rio Grande do Sul, contendo o seguinte assunto:

Um investimento de R$ 1 milhão, compartilhado entre a Secretaria da Justiça e da Segurança e a Prefeitura de Porto Alegre, resultará na implantação de 30 novas câmeras de videomonitoramento em Porto Alegre. O processo de licitação está se encerrando, informa o diretor substituto do Departamento de Relações Institucionais da Secretaria da Justiça e da Segurança, tenente-coronel Ângelo Antônio Vieira da Silva.




Das novas câmeras, 20 unidades serão adquiridas pelo Governo do Estado e 10 pelo município de Porto Alegre. Elas têm alta resolução de imagem e fazem uma foto três por quatro de uma pessoa a 280 metros de distância, sem qualquer perda de definição se houver iluminação. "É uma aproximação de 216 vezes de zoom", explica Vieira da Silva. Nas áreas central e do bairro Floresta, em Porto Alegre, as câmeras já reduziram a criminalidade em 40%, revela o diretor da pasta.

Desde setembro de 2004, a secretaria instalou 20 câmeras de videomonitoramento em Porto Alegre. Na época o investimento do Governo do Estado foi de R$ 1 milhão. Agora, pelo mesmo orçamento, serão adquiridas 30 unidades, mais modernas. "Houve um barateamento desta tecnologia", informa Vieira da Silva. Para a população em trânsito nas áreas próximas dos equipamentos, o benefício é significativo.

Além de terem reduzido em 40% a criminalidade, as câmeras invertem o chamado fator surpresa. "O delinqüente deixou de surpreender suas eventuais vítimas e passou a ser surpreendido pela ação preventiva da policia", ressalta o diretor da Secretaria. No Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp), na rua XXXXXX, é feito o monitoramento das imagens das câmeras.

Somente servidores da Brigada Militar, que assinaram termo de confidencialidade - necessário para o resguardo da privacidade dos cidadãos -, têm acesso ao local do monitoramento das imagens, esclarece o tenente-coronel Vieira da Silva. As imagens das câmeras somente podem ser acessadas por requisição do Ministério Público, do Poder Judiciário ou por uma investigação policial, acrescenta o diretor.

Para ilustrar a excelente qualidade técnica da nova geração das câmeras de videomonitoramento, em processo de aquisição, o Vieira Silva faz uma simulação: Será possível fazer uma foto três por quatro, perfeita, de uma pessoa localizada no Mercado Público de Porto Alegre por uma câmera instalada, por exemplo, na esquina da rua dos Andradas com a avenida Borges de Medeiros. Pode ser uma placa de automóvel.

Fonte: http://www.estado.rs.gov.br/principal ... odNews=%20251&cod=%201600


Opinião do Editor

Apesar de ser uma ótima notícia para a população de Porto Alegre em geral, e também para o mercado de segurança eletrônica, revela um erro muito grave e preocupante na minha opinião: Divulgar informações completas sobre o local das instalações da base de monitoramento. Obviamente é um local muito bem protegido pela Polícia Militar de Porto Alegre, mas como temos visto em diversos locais de nosso país, nem delegacias, presídios ou mesmo órgãos Federais são poupados de ataques, muito bem equipados e organizados. Por isso é realmente importante reduzir o risco, restringindo o acesso a informações tão vitais quanto estas.

Abraço a todos

Marcelo Peres
Editor do Guia do CFTV

Avalie esta notícia, mande seus comentários, de suas sugestões. Encontrou alguma informação incorreta ou algum erro no texto?

Escreva para mim:
mpperes@guiadocftv.com.br