Padrões de Interoperabilidade em Sistemas de CFTV IP  CFTV  Eng° Marcelo Peres  31-Oct-2012 00:50  0  16292 leituras

Não há como negar que atualmente a maioria dos sistemas de CFTV analógico apresentam desvantagens sobre sistemas baseados em IP. Apesar de algumas limitações técnicas e de desempenho, a compatibilidade entre equipamentos de CFTV Analógico é uma das principais vantagens desta tecnologia, uma vez que os sistemas de vídeo analógico apresentam uma ampla padronização baseada nos sistemas de vídeo NTSC e PAL, que são padrões altamente consolidados e presentes no mercado há mais de 50 anos. Desta forma, atualmente é possível conectar com segurança de compatibilidade câmeras de qualquer fabricante com gerenciadores e DVRs de outros fabricantes, inclusive misturar câmeras de diferentes tipos e tecnologias em um mesmo sistema, sem maiores riscos de problemas de compatibilidade.

Apesar de todas as vantagens da tecnologia de CFTV IP, como resolução, qualidade de imagem, processamento, segurança, entre outras, a compatibilidade de protocolos de software em sistemas de CFTV IP ainda não está totalmente padronizada. Os diversos fabricantes desenvolvem livremente seus protocolos e interfaces de comunicação, sem compromisso pleno ou busca de compatibilidade com equipamentos de outros fabricantes, produzindo assim, softwares e sistemas de controle com níveis de compatibilidade reduzida. Em geral, os fabricantes de câmera fornecem uma solução de software gratuita para gerenciamento de 4 a 64 câmera com suporte a dispositivos de sua própria linha de fabricação. A implantação de câmeras IP com softwares Bundle ou gratuitos do fabricante é interessante para a redução de custos em sistemas de pequeno porte, Soho, domésticos ou projetos iniciais de entrada.

Assim, para um suporte completo dos sistemas de gerenciamento é necessário que os desenvolvedores de software implementem e integrem os modelos e codificações de cada equipamento lançado por cada fabricante. Este é um processo exaustivo que exige muitas horas de teste, adaptação e períodos de aplicação.

CFTV IP

Neste cenário de desenvolvimento do vídeo sobre IP, alguns dos principais fabricantes de sistemas de CFTV se uniram com objetivo de criar padrões abertos de comunicação propiciando a interoperabilidade e padronização. Os principais são o ONVIF e PSIA, que iniciaram a discussão e desenvolvimento de ferramentas, softwares, esquemas e bibliotecas de especificações destinadas à criação de padrões e protocolos de interoperabilidade entre equipamentos de diferentes tecnologias, plataformas e fabricantes, reduzindo assim os problemas de incompatibilidade e limitações de comunicação entre dispositivos e sistemas. A formação destes grupos deu origem ao ONVIF, PSIA, SIA e HDCCTV.



ONVIF (http://www.onvif.org)

OnvifOpen Network Video Interface Forum (ONVIF) é um fórum aberto da indústria mundial com o objetivo de facilitar o desenvolvimento e utilização de um padrão global aberto para a interface de produtos de segurança física baseados em IP. Em outras palavras, busca definir padrões de comunicação entre dispositivos IP em sistemas de videovigilância, controle de acesso, alarme, monitoramento, entre outros. ONVIF é uma organização que foi criada em 2008 pela Axis Communications, Bosch Security Systems e Sony Corporation, e atualmente conta com mais de 400 membros do mundo todo como fabricantes, desenvolvedores, empresas e usuários.

A filiação ao ONVIF é aberta a fabricantes, desenvolvedores de software, consultores, integradores de sistemas, usuários finais ou qualquer um com interesse de participar das atividades de ONVIF. A especificação ONVIF visa alcançar a interoperabilidade entre equipamentos e sistemas de vídeo em rede, independentemente do fabricante.

Os pilares do ONVIF são:

- Padronização de protocolos de comunicação entre dispositivos de vídeo em rede
- Interoperabilidade entre produtos de vídeo em rede, independentemente do fabricante
- Aberta a todas as empresas e organizações


Os desenvolvedores do ONVIF escolheram as tecnologias prontas mais atuais e as adaptaram para a vigilância IP. As especificaçõos do ONVIF integram padrões modernos de web-services descritos com as linguagens WSDL, protocolos RTP / RTSP, SOAP (XML), compressão de vídeo padrão H.264, MPEG-4, MJPEG. O padrão define os seguintes aspectos da interação da transmissão entre dispositivos (Câmeras IP, encoders, Video Servers, Decoders) com os dispositivos e sistemas de gerenciamento (NVR, DVMS, DVR Híbrido):

- Configuração da interface de rede;
- Descoberta de dispositivos e protocolo WS-Discovery;
- Gerenciameno de perfis de vídeo da câmera (Profiles);
- Configuração de Streaming Media (Fluxos de vídeo);
- Manipulação de eventos;
- Controle de movimentação PTZ;
- Análise de vídeo (Video analytics);
- Proteção de dados (controle de acesso, encriptação).


Uma importante vantagem do padrão ONVIF é o suporte a video analytics, embarcado em dispositivos como câmeras e encoders. Desta forma um dispositivo pode executar localmente a detecção, reconhecimento e rastreamento de objetos. Estes metadados operacionais em conjunto com as imagens podem também ser transmitidos via rede para gerenciadores de alto nível através dos protocolos ONVIF para o armazenamento e controle avançado.


PSIA (http://www.psialliance.org/)

PSIAO Physical Security Interoperability Alliance é um consórcio mundial que mais de 65 fabricantes de segurança física e integradores de sistemas focados em promover a interoperabilidade entre sistemas e dispositivos de segurança com tecnologia IP em todos os segmentos da indústria. As empresas participantes incluem Arecont Vision, ASSA ABLOY, Cisco Systems, GE Security, Genetec, HikVision, Honeywell, IBM, IQinVision, Kastle, March Networks, a Milestone Systems, NICE Systems, ObjectVideo, OnSSI, Pelco, SCCG, Stanley Segurança, Texas Instruments, Tyco International, Verint e Vidsys. Foi fundado em 2008 pela Pelco e Cisco e tem como objetivo desenvolver padrões relevantes para a tecnologia de segurança de rede física. O PSIA conta atualmente com cerca de 100 participantes.

O PSIA promove e desenvolve padrões abertos relevantes para a tecnologia de segurança de rede física em todos os segmentos, incluindo vídeo, controle de acesso, análise de vídeo e software. PSIA suporta normas e especificações com licenças abertas, as quais não são permitidas. Busca uma plataforma de desenvolvimento colaborativa e aberta para a indústria como um todo. Existem atualmente cinco grupos de trabalho ativos: Vídeo IP, análise de vídeo, gravação e gerenciamento de conteúdo, controle de área e Sistemas. O PSIA lançou a especificação de Media e Dispositivos IP 1.0 em Março de 2008.



SIASIA - Security Industry Association - (http://www.siaonline.org)

Comitê de Padrões SIA é projeto de padrão de interoperabilidade anterior ao ONVIF e PSIA, este comitê publicou algumas normas e possui uma posição menos direta em relação aos grandes fabricantes dos grandes consórcios. Sua aplicação e presença aparenta estar pouco difundida e praticamente não implementada.



HD CCTV (http://www.highdefcctv.org/)

Na contramão dos sistemas IP foi desenvolvido o HD CCTV que é uma aliança de fabricantes para criação e aplicação de padrões de vídeo digital não compactado. Utiliza como base o padrão HD SDI e busca o desenvolvimento de um padrão aberto de transmissão de vídeo em alta resolução, que possibilite o aproveitamento da infraestrutura de vídeo existente, baseada em cabos coaxiais para suporte a sistemas de vídeo em alta definição (HD).

HD CCTV

Conclusões

Apesar de uma base e documentação bastante sólida, ultimamente o PSIA tem tipo poucos desenvolvimentos e atualizações. Por outro lado o ONVIF notadamente tem sido o grupo com maior desenvolvimento e aceitação, estando disponível em diversos equipamentos de diversos fabricantes. Na guerra de interesses entre os principais fabricantes, o ONVIF está em ampla vantagem, sendo considerado por muitos como o grande vencedor. Desta forma, cada vez mais o ONVIF deverá ser aplicado em um maior número de equipamentos dos vários fabricantes e desenvolvedores de sistemas. Para o usuário e integrador é importante ficar atendo as tendências de mercado e buscar a escolha e implantação de dispositivos e sistemas que permitam a adaptação aos novos padrões e dessa forma propiciar uma maior longevidade e compatibilidade para seus sistemas.

Autor: 

Engº Marcelo Marcelo Peres (mpperes@guiadocftv.com.br)

Currículo: http://lattes.cnpq.br/0494967819852143 

CREA RS92033 - 220417740-7

Guia do CFTV

Referências:

http://www.onvif.org/Default.aspx?Con ... =487&Aid=33&PR=PR

http://www.siaonline.org/landing.aspx ... tifier=id&itemid=1524

http://www.psialliance.org/

http://www.asmag.com/showpost/9020.aspx

http://en.wikipedia.org/wiki/ONVIF

http://synesis.ru/en/surveillance/contents/onvif

http://ipvideomarket.info/report/ip_camera_standards_battle

http://ipvm.com/report/onvif_psia_ip_camera_standards

http://ipvm.com/report/ip_camera_standards_state_of_the_market

Avalie este artigo, mande seus comentários e sugestões. Encontrou alguma informação incorreta ou algum erro no texto?

Escreva para nós.

avaliação 2.71/5
avaliação: 2.7/5 (45 votos)
Ver este arquivo em formato PDF Impimir arquivo

Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.


Anúncios

Inscreva-se em nossa lista de e-mails

Anúncios

Pesquisar nos Fóruns

Pesquisa Avançada

Anúncios

Conteúdo Correspondente


style="display:block"
data-ad-format="autorelaxed"
data-ad-client="ca-pub-6290776660462717"
data-ad-slot="7712548665">

Facebook


Anúncios

Anúncios

Design por: Angelo Rocha