Cada vez mais a Internet das Coisas (IoT) está transformando o nosso mundo. Na CES 2019, em Las Vegas, a Bosch apresenta o que já é realidade hoje.

“A Bosch reconheceu as grandes oportunidades de IoT desde o início. Estamos ativamente construindo o mundo conectado há aproximadamente dez anos”, disse Dr. Markus Heyn, membro da direção mundial do Grupo Bosch. “Hoje somos uma empresa líder em IoT. Gradativamente ampliamos nossa expertise em softwares e TI”.

Usando sua própria nuvem de IoT, a empresa já tem mais de 270 projetos nas áreas de mobilidade, casas e cidades inteligentes e agricultura. O número de sensores e dispositivos conectados à plataforma Bosch IoT Suite cresceu aproximadamente 40% no último ano e agora totalizam 8.5 milhões.

Uma das chaves para o crescimento e de novas oportunidades de negócios em IoT é a inteligência artificial (IA). Esta também é uma área na qual a Bosch tem um papel decisivo na condução dos desenvolvimentos.

“Seremos capazes de aproveitar todo o potencial de IoT se o combinarmos com IA e levarmos ambas as atividades adiante e em paralelo”, afirmou Heyn. Em sua opinião, a relação entre as duas áreas é complementar: “IoT precisa de inteligência. O uso de coisas conectadas para coletar dados pode ser um impulso decisivo para o desenvolvimento da inteligência artificial. Apenas por meio da IA que as coisas conectadas se tornam inteligentes e aprendem a tirar suas próprias conclusões. Acima de tudo, nosso objetivo é melhorar a vida das pessoas como, por exemplo, desenvolvendo soluções que proporcionem mais tempo, segurança, eficiência e comodidade”.

Heyn cita ainda o sistema de detecção de fumaça baseada em vídeo: por meio da análise inteligente de imagens, câmeras de segurança podem identificar indícios de fogo dentro de poucos segundos, antes mesmo dos sensores detectarem fumaça e/ou calor. Nesse sentido, incêndios podem ser identificados consideravelmente mais cedo do que com os sistemas convencionais de alarme de incêndio ou fumaça. Minutos valiosos que podem salvar vidas.

Com o veículo conceito Bosch, a empresa celebra o pioneirismo na CES 2019. Neste micro-ônibus, a empresa apresentará soluções para a automação, conectividade e eletrificação dos veículos e dará aos visitantes a oportunidade de conhecer um novo tipo de mobilidade: veículos sem motorista que em breve estarão nas cidades ao redor do mundo. “Isso contribuirá para a nossa visão de mobilidade o mais livre possível de emissões, acidentes e estresse”, afirmou Heyn. Para a mobilidade do futuro, a Bosch não fornecerá apenas componentes e sistemas, mas uma gama completa de serviços, como reserva, carona e plataformas de conectividade, além de estacionamento e recarga.

A Bosch acredita que os serviços conectados são essenciais para a mobilidade do futuro. O volume de mercado previsto para esses serviços também é alto: enquanto em 2017 foi de 47 bilhões de euros, a estimativa para 2022 é de até 140 bilhões (fonte: PwC). A empresa prevê um crescimento significativo neste mercado nos próximos anos. Para Heyn não há dúvida: “No futuro, todo veículo na estrada fará uso dos serviços digitais da Bosch. Vamos consolidá-los em um ecossistema inteligente e integrado”.

Um dos desafios finais para colocar esse micro-ônibus em prática é a automação de veículos em ambientes urbanos complexos. Nesse contexto, a Bosch acredita que as parceiras são essenciais: Na segunda metade deste ano, San José, na Califórnia será a cidade-piloto para os testes dos serviços de condução e carona de veículos autônomos da Bosch e Daimler. Com o acordo de desenvolvimento, as duas empresas querem melhorar os fluxos de tráfego urbano, a segurança rodoviária e fornecer um importante alicerce para o tráfego do futuro. O objetivo é o desenvolvimento de um sistema de direção completamente autônomo e sem condutor (SAE nível 4/5) que esteja pronto para produção no começo da próxima década.

IoT em casa: aparelhos conectados tornam a vida nas residências mais fácil

Não é apenas nas estradas que os produtos e serviços conectados estão presentes para facilitar a vida dos usuários. “Estamos trabalhando na ideia de uma casa conectada e de eletrodomésticos que pensem de forma autônoma e que entendam o que os usuários querem”, disse Heyn. Na CES, por exemplo, a empresa apresentará uma nova função para geladeiras conectadas que consegue reconhecer tipos de comida e fornecer recomendações de armazenamento. Uma câmera no interior reconhece pelo menos 60 tipos de frutas e vegetais e sugere o local de armazenamento ideal, por meio de um aplicativo. Isso garante que a comida seja sempre armazenada de forma otimizada, permaneça fresca por mais tempo e, consequentemente, evite desperdícios.

Outro novo desenvolvimento é o PAI, um projetor Bosch que pode ser instalado acima da bancada da cozinha, transformando-a em uma tela sensível ao toque. Um sensor 3D integrado detecta quando o usuário toca a superfície e, assim, ativa o controle de toque. Isso significa que o usuário pode acessar uma variedade de serviços digitais enquanto cozinha, como procurar receitas ou controlar eletrodomésticos conectados. Graças ao seu design robusto, a superfície de controle do PAI pode ser operada adequadamente mesmo com dedos sujos, ao contrário do smartphone ou tablet convencional, além de liberar espaço na área de uso da cozinha. A tecnologia está prevista para ser lançada na China em fevereiro de 2019 e, na sequência, nos Estados Unidos.

Origem: Revista Segurança Eletrônica

Marcelo Peres

[email protected]

GuiadoCFTV

 

Avalie esta notícia, mande seus comentários e sugestões. Encontrou alguma informação incorreta ou algum erro no texto?

 

Importante: ‘Todos os Conteúdos divulgados decorrem de informações provenientes das fontes aqui indicadas, jamais caberá ao Guia do CFTV qualquer responsabilidade pelo seu conteúdo, veracidade e exatidão. Tudo que é divulgado é de exclusiva responsabilidade do autor e ou fonte redatora.’

 

Quer enviar suas notícias? Envie um e-mail para [email protected]

Comentários