Antes de comprar um novo computador é necessário saber alguns detalhes a respeito da máquina para não fazer um investimento errado. Baseado no tipo de uso desejado, o usuário precisa pesquisar componentes que possam ser suficientes para realizar suas atividades. Além disso, pode surgir a dúvida entre um desktop ou notebook, já que, dependendo do caso, um laptop mais simples pode ser interessante e custar menos.

Pensando nisso, o TechTudo reuniu algumas dicas para ajudar o usuário a definir a máquina ideal. Mesmo pessoas menos experientes podem entender um pouco como funcionam os componentes e como escolher as especificações ideais para cada tipo de uso. Saiba a seguir o que fazer para não errar na hora de comprar um computador novo.

1. Que tipo de usuário é você?

O primeiro ponto a se observar é: qual a principal finalidade do seu novo computador? Essa questão influencia diretamente na escolha das peças. Um computador para games, por exemplo, vai exigir um volume maior de memória RAM, assim como a utilização de uma placa de vídeo dedicada. Já um PC para trabalhos simples e edição de textos pode ter uma configuração mais modesta, e existem diversos notebooks à venda que devem entregar desempenho suficiente.

2. Conhecendo os componentes

Ter um conhecimento básico sobre hardware pode ajudar bastante na hora de escolher um novo PC, já que, principalmente em grandes varejistas. Saber o papel dos componentes no funcionamento da máquina pode evitar problemas, como um vendedor que não conheça tão bem o produto influenciando negativamente a sua compra, por exemplo.

3. Memórias

Atualmente, o padrão mais moderno de memória RAM é o DDR4 e o ideal é dar preferência a ele. Isso vai permitir encontrar esses componentes mais facilmente para realizar um upgrade, ou até substituir a peça por conta de algum defeito.

4. Armazenamento

Ao comprar um novo computador, é interessante buscar opções com tecnologias mais recentes de armazenamento. Máquinas com SSDsprometem melhor desempenho e maiores velocidades de transferência, independente do tipo de uso. No caso de desktops, é mais fácil encontrar modelos acompanhados tanto de HDs quanto de SSDs. Também vale ressaltar que, sendo possível atualizar o dispositivo, é possível aumentar o armazenamento com componentes do padrão mais atual no futuro.

5. Sistema operacional

Apesar das especificações técnicas serem o norte para a escolha de um novo computador, comprar um computador que já venha equipado com sistema operacional de fábrica pode ser uma boa economia. Isso vale principalmente para usuários de Windows, já que ter o software por fora pode ser mais caro. Em alguns casos, há ainda promoções que dão acesso ao pacote Office, que também pode ser adquirido separadamente.

6. PC de entrada

Os computadores de entrada são facilmente encontrados em grandes varejistas, com ofertas de empresas variadas. A Dell, por exemplo, possui a linha Inspiron, que oferece desktops e notebooks com configurações mais simples para quem quer apenas uma máquina para produtividade. Outra marca muito popular entre os produtos de entrada é a brasileira Positivo, que conta com máquinas de baixo custo.

7. PC Gamer

O segmento gamer não é voltado apenas para quem quer jogar, mas também para usuários mais exigentes, que não abrem mão de melhor desempenho. Os dispositivos dessa categoria possuem, além de hardware mais avançado, design mais chamativo e, com isso, preços mais altos.

8. Comprar uma máquina pronta ou montar peça por peça?

A dúvida entre escolher entre um modelo pronto para começar a usar ou comprar as peças individualmente costuma aparecer quando o usuário está considerando os valores. Quem não conhece tão bem os componentes, por sua vez, costuma preferir um PC já montado para evitar inconvenientes.

9. PC ou Notebook?

Escolher entre um computador de mesa e um notebook já foi sinônimo de optar entre desempenho e mobilidade. Atualmente, isso não é regra: existem diversos notebooks de alto desempenho no mercado que podem fazer frente a bons sistemas de desktop. Modelos gamer, por exemplo, tendem a ser mais pesados e maiores, comprometendo um pouco sua mobilidade. A bateria dos dispositivos também não costuma ser potente o suficiente para manter o computador funcionando em alto desempenho por muito tempo.

10. Botar na ponta do lápis

Optar por um notebook pode valer a pena por conta da mobilidade, mas se o objetivo é alto desempenho, vale lembrar que os preços são mais altos. Por outro lado, a presença de uma tela acoplada pode ser interessante, já que nem sempre o usuário vai ter uma monitor disponível em casa – ou que acompanhe a qualidade gráficas do PC a ser adquirido.

Origem: Techtudo

Marcelo Peres

[email protected]

Guia do CFTV

Avalie esta notícia, mande seus comentários e sugestões. Encontrou alguma informação incorreta ou algum erro no texto?

Importante: ‘Todos os Conteúdos divulgados decorrem de informações provenientes das fontes aqui indicadas, jamais caberá ao Guia do CFTV qualquer responsabilidade pelo seu conteúdo, veracidade e exatidão. Tudo que é divulgado é de exclusiva responsabilidade do autor e ou fonte redatora.’

Quer enviar suas notícias? Envie um e-mail para [email protected]

Comentários