CMOS

CMOS (pronuncia-se “Cê-Mós”) é a abreviatura de Complementary Metal-Oxide-Semiconductor, ou seja, semicondutor de metal-óxido complementar.

É um tipo de circuito integrado onde se incluem elementos de lógica digital (portas lógicas, flip-flops, contadores, decodificadores, etc.), microprocessadores, microcontroladores, memórias RAM, etc. Esta tecnologia é complementar à tecnologia de fabricação de transistores MOSFET.

Em particular na tecnologia CMOS o circuito é composto de um transistor MOSFET canal N e um transístor MOSFET canal P, tal como um inversor lógico CMOS. A principal vantagem dos circuitos integrados CMOS é o baixo consumo e altas velocidades conseguidas.

Em CFTV refere-se a uma tecnologia utilizada também para fabricar sensores de imagem e que nos últimos anos substituiu os sensores de imagem CCD com vantagens em termos de recursos e custo.

Um CMOS é um tipo de semicondutor amplamente usado que utiliza tanto circuitos positivos quanto negativos. Como apenas um dos tipos de circuito está ligado de cada vez, os chips CMOS requerem menos energia do que os chips que usam apenas um tipo de transistor. Os sensores de imagem CMOS também permitem que os circuitos de processamento sejam incluídos no mesmo chip, o que não é possível nos sensores CCD, cuja produção também era muito mais cara.

Veja também a definição da Wikipedia

Eng° Marcelo Peres

Eng° Eletricista Enfase em Eletrônica e TI, Técnico em Eletrônica, Consultor de Tecnologia, Projetista, Supervisor Técnico, Instrutor e Palestrante de Sistemas de Segurança, Segurança, TI, Sem Fio, Usuário Linux.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.