UEPB reformula sistema de vigilância e otimiza atuação do plano de segurança

Um arrojado plano de segurança montado pela Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), através da Pró-Reitoria de Infraestrutura (PROINFRA) tem conseguido tornar o Câmpus I, em Campina Grande, mais seguro para a sua comunidade acadêmica. O organograma de segurança envolve um grande aparato de equipamentos, que vai desde o monitoramento através de câmeras de TV, sistema de alarme, uso de rádio comunicação até a vigilância motorizada e armada, terceirizada e o grupo orgânico composto por agentes de segurança do quadro da Universidade.

Uma das medidas adotadas pela Administração Central para garantir maior segurança da comunidade, de forma preventiva, foi a implantação de um sistema de vigilância eletrônica em todo o Câmpus. No total foram instaladas 230 câmeras. Os equipamentos monitoram todos os espaços como prédio da Reitoria, o Centro de Integração Acadêmica (CIA), Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS), Centro de Ciências e Tecnologia (CCT) e elevador. Nenhum movimento passa despercebido pelas câmeras. 

As imagens captadas pelas câmeras são enviadas em tempo real através de cabos de fibra óptica, gravadas e ficam armazenadas por até um mês no Setor de Segurança. Todo o trabalho é acompanhado em uma Central de Monitoramento que funciona 24 horas na Pró-Reitoria de Infraestrutura. A Central consegue captar de uma só vez até 130 imagens ao vivo de todos os locais do Câmpus.

O chefe de segurança da UEPB, Joel Furtado, e os consultores Dimitri Petrossian e Rodrigo Lima, confirmam que as medidas preventivas têm ajudado a Universidade a combater os furtos e facilitado o trabalho da vigilância terceirizada e orgânica. Para tornar ainda mais eficaz o plano, a Pró-Reitoria de Infraestrutura já iniciou a implantação de um moderno sistema de alarme que vai complementar o trabalho de monitoramento das câmeras de TV. No total, 50 alarmes adquiridos recentemente, através de Licitação, serão instalados em toda extensão do Câmpus de Bodocongó.

“Em cada setor que a gente perceber que existe necessidade, haverá um alarme que será monitorado da Central”, explicou o consultor de segurança Rodrigo Lima. Caso o alarme dispare, uma pessoa que opera a Central de Monitoramento, imediatamente acionará a vigilância motorizada que se deslocará até o local para verificar se houve alguma ocorrência. Ainda neste semestre, a Universidade também deverá implantar novas câmeras de alta resolução que captarão imagens com maior nitidez.

Reformulação no sistema de vigilância armada não reduz segurança

Com a proposta se reduzir custos e otimizar os serviços de segurança, a UEPB está promovendo um ajuste no setor de vigilância armada. Isso porque, conforme explicou o pró-reitor de Infraestrutura, Álvaro Luís, o contrato com a empresa terceirizada se venceu e a Instituição optou em fazer um novo contrato por ata de adesão, mas sem diminuir o aparato de segurança empregado em todo o Câmpus.

Desta forma, a Universidade vai abrir uma seleção simplificada para contratar 35 vigilantes que se juntarão aos 84 vigilantes terceirizados, mais os 40 homens que integram o quadro efetivo e que realizam a vigilância orgânica. O edital de seleção será lançado nos próximos dias e, com isso, o setor de segurança terá mais profissionais na equipe. Antes a Instituição contava com 147 vigilantes. Com os ajustes, passará a contar com 159 pessoas garantindo a segurança do local, incluindo a vigilância motorizada.

Dimitri Petrossian, consultor em segurança da UEPB, observa que a Universidade manter toda a vigilância armada não representa, necessariamente, maior segurança. Pelo contrário, é até mais um risco, uma vez que os bandidos têm agido muito mais no sentido de roubar armas de vigilantes para utilizá-las em outros crimes e não em busca do patrimônio da Universidade.

Nos últimos dois anos, Universidade investiu em segurança recursos superiores a R$ 5 milhões. Com a reformulação do sistema, a UEPB, de imediato, faz as despesas mensais com segurança armada terceirizada caírem de R$ 513.175,00 para 252.479,06, uma vez que o novo contrato por ata de adesão tem como finalidade reduzir e otimizar os custos com segurança, melhorando a qualidade do serviço prestado.

origem: http://www.clickpb.com.br/noticias/paraiba/uepb-reformula-sistema-de-vigilancia-e-otimiza-atuacao-do-plano-de-seguranca/

Sirlei Madruga de Oliveira

sirlei@guiadocftv.com.br

Editora do Guia do CFTV

Avalie esta notícia, mande seus comentários e sugestões. Encontrou alguma informação incorreta ou algum erro no texto?

Importante:

Todos os Conteúdos divulgados decorrem de informações provenientes das fontes aqui indicadas, jamais caberá ao Guia do CFTV qualquer responsabilidade pelo seu conteúdo, veracidade e exatidão. Tudo que é divulgado é de exclusiva responsabilidade do autor e ou fonte redatora.’ 

Sirlei Madruga

Sirlei Maria Guia do CFTV

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.