História da análise inteligente de vídeo: da descoberta da eletricidade ao VMS

Por Andrei Junqueira, Channel Business Manager da Milestone Systems para o Brasil

A análise inteligente de vídeo, ou vídeo analítico, é a última etapa de uma longa evolução de tecnologias que foram se desenvolvendo ao longo de séculos. Os primórdios da eletricidade remontam ao século VI a.C., quando o filósofo Thales de Mileto descobriu uma resina vegetal fóssil petrificada chamada âmbar (que significa elektron em grego), que podia atrair objetos leves. A partir daí, muitos estudiosos se dedicaram ao estudo da eletricidade, até chegarmos à lâmpada incandescente, no ano de 1879, que foi patenteada por Thomas Alva Edison.

Igualmente, Eadweard Muybridge realizou nos Estados Unidos um experimento que resultou na primeira imagem em movimento, captando uma série de imagens estereoscópicas de um cavalo a galope. Esse foi, então, o precursor do vídeo. Ambas descobertas levaram ao desenvolvimento de outras inovações tecnológicas que tornaram-se possíveis no século XX e agora no século XXI.

A eletricidade não promoveu, apenas, a iluminação, mas também permitiu o desenvolvimento de processos industriais importantes e provocou transformações profundas em diversos aspectos da vida e da produção, especialmente na área das comunicações. Desde o telégrafo, a televisão, a computação, a Internet, a telefonia móvel, a robótica, muitas novas tecnologias foram impulsionadas, viabilizando a concretização de possibilidades vislumbradas pelos cientistas pioneiros. A maneira como vemos o vídeo hoje é similar à que os pioneiros viram a eletricidade no século XX.

Os Video Management Systems (VMS), ou software de gerenciamento de vídeo, são sistemas usados para visualizar imagens de qualquer dispositivo em tempo real, além de possibilitar o acesso às gravações armazenadas através da Internet.

Os desenvolvedores de VMS foram testemunhas do desenvolvimento da Internet, que passou de uma ferramenta utilizada por poucos a algo fundamental na vida de grande parte da população mundial. No Brasil, hoje, 74% dos brasileiros utilizam a rede, totalizando 134 milhões de usuários.

O mesmo aconteceu com o desenvolvimento de múltiplos produtos e funcionalidades da indústria de software de gestão de análise de vídeo. Sua transformação foi marcada por avanços de hardware, software, 56k, banda larga, 5G, sensores e, agora, a nuvem. As tecnologias seguem se desenvolvendo conforme as necessidades dos clientes, mudam e se transformam.

Podemos notar alguns aspectos importantes que foram primordiais na evolução da análise inteligente de vídeo:

Plataforma aberta

Novas plataformas de vídeo surgem em todo mundo continuamente. As que tem êxito são aquelas que oferecem uma combinação atrativa de diferentes fatores: integração fácil, inovação, potencial comercial, além de um sentido de comunidade.

Essas características são oferecidas pelas plataformas abertas, que permitem que os dispositivos de terceiros possam ser agregados e configurados com facilidade. Isso favorece a criação de parcerias com fabricantes, instaladores e integradores, que possibilitam uma constante inovação e dispositivos que utilizam as últimas tecnologias.

Segurança

A escolha de uma senha forte e segura era um assunto de pouca relevância no início da era da Internet e da criação das primeiras contas de correio eletrônico. Com o passar das décadas isso mudou, já que atualmente 81% das violações acontecem por conta de senhas roubadas ou fracas, segundo dados do relatório de Violações de Dados da Verizon. E vale destacar que os ataques cibernéticos aumentaram ainda mais durante a pandemia.

Nos últimos tempos, os hackers têm usado softwares que geram automaticamente distintas configurações de caracteres sucessivamente durante horas, dias ou anos, com o intuito de invadir os sistemas. Diante disso, a autenticação multifator se tornou imprescindível para a gestão e análise de vídeo seguras.

Do outro lado, administradores se muniram de ferramentas para garantir a segurança e evitar violações cibernéticas. Passaram a adotar políticas que requerem trocas de senhas, fazendo com que dispositivos periféricos como as câmeras de segurança, as mais vulneráveis das instalações, contem com uma senha gerada automática e aleatoriamente.

Atualmente, a adoção de padrões como o FIPS 140-2 representa um marco de segurança e privacidade, já preparado para o futuro.

Experiência para o usuário

Os softwares de gestão e análise de vídeo, cada vez mais, reúnem tecnologia de ponta e capacidade de processamento com um único objetivo: melhorar a experiência do usuário. E o que determina uma boa experiência para o usuário? Facilidade de uso, boa navegação, administração eficiente e uma interface alinhada e comum em cada produto.

A possibilidade de ter acesso ao suporte no momento da instalação, por meio de uma rede de atendimento global que alguns dispositivos oferecem, também é primordial. Isso atende a atividades comerciais de diferentes tipos e portes: desde configurações básicas em pequenas instalações, como comércios varejistas, até instalações grandes e complexas de alta prioridade.

Funcionamento confiável

A Milestone Systems, empresa especializada em software de gestão de vídeo, realizou no ano passado uma pesquisa com mais de 100 usuários finais de sistemas de gestão e análise de vídeo. Foi perguntado aos participantes qual é o atributo mais importante de um VMS. A resposta foi contundente: confiabilidade. Os clientes valorizam um VMS que funcione corretamente no qual possam confiar.

Conscientes de que os servidores de gravação representam a parte mais valiosa da administração de vídeo, os fabricantes se empenharam em desenvolver operações de servidores cada vez mais sólidas e com estabilidade crescente.

Além disso, implementaram testes para garantir a funcionalidade e confiabilidade de cada solução antes que sejam enviadas à produção. Aqui estão incluídas a especificação dos melhores componentes para um funcionamento perfeito e a determinação da capacidade adequada para os requisitos de armazenamento do cliente.

Mudança à nuvem

A transição para a nuvem é uma tendência cada vez maior e se acentuou com a nova normalidade trazida pela pandemia. Uma pesquisa realizada pela IDC (International Data Corporation), apontou que até o final de 2021, cerca de 75% das grandes empresas na América Latina vão dobrar a velocidade da sua mudança para uma infraestrutura de aplicativos centrada em nuvem.

No Simpósio de Plataformas de Integração (Milestone Integration Platform Symposium – MIPS) de 2021, organizado pela Milestone Systems, vários executivos da empresa destacaram como a demanda de tecnologias da nuvem já é sólida e robusta. O VMS tem se convertido rapidamente em parte desta arquitetura.

Temos que dar um passo adiante e nos prepararmos para garantir que os clientes não enfrentem limitações na escalabilidade e flexibilidade quando precisarem melhorar e expandir suas instalações.

origem: https://signalisgroup.com/Link Origem

Sirlei Madruga de Oliveira

Editora do Guia do CFTV

 sirlei@guiadocftv.com.br

Avalie esta notícia, mande seus comentários e sugestões. Encontrou alguma informação incorreta ou algum erro no texto?

Importante: ‘Todos os Conteúdos divulgados decorrem de informações provenientes das fontes aqui indicadas, jamais caberá ao Guia do CFTV qualquer responsabilidade pelo seu conteúdo, veracidade e exatidão. Tudo que é divulgado é de exclusiva responsabilidade do autor e ou fonte redatora.’

Quer enviar suas notícias? Envie um e-mail para noticias@guiadocftv.com.br

Sirlei Madruga

Sirlei Maria Guia do CFTV

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.