Prefeitura do Rio usará inteligência artificial para planejar retomada

Prefeitura do Rio usará inteligência artificial para planejar retomada

A prefeitura do Rio irá utilizar uma tecnologia pioneira, baeada em inteligência artificial, para ajudar no planejamento da retomada das atividades com mais segurança. O KeyApp, desenvolvido pela startup CyberLabs, será capaz de controlar o acesso de funcionários e visitantes sem contato físico ao Centro de Operações Rio (COR), prédio que funciona como um quartel-general de integração das operações urbanas no município.

Equipada com um módulo de gestão do risco covid, a ferramenta consegue calcular a probabilidade de uma pessoa estar ou não contaminada, auxiliando a elaboração de um protocolo de reabertura.

A CyberLabs oferece o serviço gratuitamente a entidades públicas como meio para democratizar o acesso à Inteligência Artificial por todas as camadas da população. O KeyApp já vem sendo utilizado em fase de testes desde o início do mês de agosto no complexo do COR, que reúne cerca de 30 órgãos entre secretarias e concessionárias de serviços públicos.

Um terminal digital equipado com um tablet foi instalado na recepção do prédio para automatizar o controle de entrada e saída. Para acessá-lo, o usuário baixa um aplicativo gratuito em seu smartphone, pelo qual faz o cadastro, fornecendo dados pessoais e escaneando o próprio rosto.

Uma vez cadastrado, o visitante pode acessar o centro de operações via reconhecimento facial, sem a necessidade de manter contato físico e respeitando as recomendações de distanciamento social. Para manter um controle ainda mais exato da circulação de pessoas, a administração pode configurar a validade dos acessos por número de usos ou criar uma data de expiração.

No longo prazo a CyberLabs pretende digitalizar 200 milhões de brasileiros, para que tenham algo equivalente a um documento de identidade digital em seus smartphones por meio do KeyApp.

Nossa principal meta é democratizar o acesso à inteligência artificial no País, colocando as soluções ao alcance de todos, independentemente do estado social, da idade e do nível de conhecimento tecnológico”, diz Felipe Vignoli, sócio fundador da empresa. “Chegaremos inclusive a pequenos empreendedores que no momento não podem fazer grandes investimentos”, garante.

A entrada de uma pessoa no COR também estará condicionada ao preenchimento, dentro do próprio aplicativo, de um formulário com perguntas para identificar se o usuário apresentou sintomas de contaminação nas últimas horas, se manteve contato com suspeitos ou se esteve no mesmo ambiente com alguém que tenha sido contaminado.

Ao respondê-lo, o funcionário ou visitante recebe em poucos segundos, via sms, uma mensagem de texto informando uma porcentagem de risco covid.

“Se essa possibilidade de contaminação for alta, conseguimos de antemão encaminhar o colaborador para o isolamento domiciliar antes mesmo da sua chegada ao prédio”, diz Gabriela de Oliveira, assessora do COR.

O terminal instalado na recepção do COR também possui câmera térmica para medir a temperatura no momento da entrada no prédio.

Estudamos a fundo tudo que estava sendo feito como protocolo de retomada na China, Europa e Estados Unidos, regiões que atravessaram a pandemia antes do Brasil”, conta Vignoli.

O KeyApp já foi desenvolvido seguindo os preceitos da legislação de proteção de dados do Brasil, a LGPD, aprovada na última semana de agosto e que pode entrar em vigor já em setembro. Ou seja, o usuário saberá com quem vai compartilhar suas informações, com qual finalidade e quando os dados serão apagados do aplicativo.

Esta é a grande aposta da CyberLabs para auxiliar empresas e órgãos públicos na gestão da reabertura da economia. Para expandir esforços em pesquisa e desenvolvimento de inteligência artificial, a startup recebeu em agosto um investimento de R$28 milhões da Redpoint eventures.

Operando durante 24 horas por dia, nos sete dias da semana, o COR já projeta utilizar o KeyApp para apoiar outras frentes de operação. A intenção da administração, segundo Gabriela, é continuar utilizando a tecnologia fornecida pela CyberLabs para garantir que todos os 600 colaboradores fixos e visitantes utilizem os portais para acessar o prédio diariamente, mesmo após o término da pandemia.

A ideia é ter a ferramenta como uma carta na manga para situações de crise envolvendo, por exemplo, alagamentos, quedas de passarela ou graves acidentes de trânsito, momentos nos quais os dirigentes dos órgãos responsáveis precisam se dirigir imediatamente para o COR a fim de acompanhar o andamento dos casos.

Por isso um controle de acesso ágil, seguro e facilitado é tão importante para nós”, esclarece Gabriela.

Além de controlar a entrada e saída na recepção do prédio, o KeyApp também é capaz de gerenciar o check in e check out em áreas e salas específicas no interior COR. No lugar dos tablets acoplados aos terminais digitais, a solução usa QR codes para monitorar, por exemplo, quais pessoas marcaram presença em determinada reunião ou quem deve ter acesso livre à sala de gestão de crise, considerada um ponto estratégico para o centro de operações.

A tecnologia também ajudará o COR a planejar melhor e eliminar as barreiras de idioma para delegações internacionais e convidados estrangeiros. Segundo Gabriela, é quase impraticável contar a todo momento com recepcionistas capazes de fazer o atendimento em línguas como japonês e mandarim.

A assessora conta que, para gerenciar a entrada de grandes grupos de visitantes, é necessário reservar quase uma hora e meia para o tradicional esquema de check in baseado na criação de um cartão de proximidade para cada convidado. A intenção, com o KeyApp, é reduzir esse tempo para quinze minutos.

origem: https://diariodorio.com/prefeitura-do-rio-usara-inteligencia-artificial-para-planejar-retomada/

Sirlei Madruga de Oliveira

Editora do Guia do CFTV

sirlei@guiadocftv.com.br

 

Avalie esta notícia, mande seus comentários e sugestões. Encontrou alguma informação incorreta ou algum erro no texto?

Importante:

Todos os Conteúdos divulgados decorrem de informações provenientes das fontes aqui indicadas, jamais caberá ao Guia do CFTV qualquer responsabilidade pelo seu conteúdo, veracidade e exatidão. Tudo que é divulgado é de exclusiva responsabilidade do autor e ou fonte redatora.’

Sirlei Madruga

Sirlei Maria Guia do CFTV

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.