China: hackers roubam e vendem vídeos de câmeras de segurança caseiras

Dezenas de milhares de câmeras de segurança foram hackeadas na China, o que levou à comercialização de diversos vídeos ilegais na internet mostrando a rotina — e até a intimidade — das vítimas.

Segundo o jornal South China Morning Post, os clipes são vendidos de acordo com o conteúdo: cenas “normais” em quartos de hotel, restaurante ou casas são comercializadas por 20 yuan cada, enquanto os vídeos com nudez ou até relações sexuais custam 50 yuan.

Há até mesmo a comercialização de senhas para acessar as câmeras de segurança ao vivo.

Estrutura complexa

Investigações pelas autoridades locais revelaram que os anúncios ocorrem normalmente em plataformas e redes sociais chinesas, como o mensageiro instantâneo QQ, da Tencent.

Províncias como as de Guandong, Hunan e Hubei foram as afetadas e, segundo a apuração, os vídeos “picantes” nem são os mais procurados: há quem deseje apenas espiar o dia a dia de famílias chinesas tradicionais, acompanhando a rotina de desconhecidos que não sabem que estão sendo vigiados por terceiros.

A reportagem ainda encontrou mensagens dos criminosos afirmando que há equipes inteiras “viajando pelo país e instalando câmeras onde quer que eles vão”, especialmente em hoteis. Não há maiores informações sobre uma investigação em andamento para capturar os responsáveis pelas filmagens.

 

 

 

 

 

João Marcelo de Assis Peres

joao.marcelo@guiadocftv.com.br

GuiadoCFTV

Avalie esta notícia, mande seus comentários e sugestões. Encontrou alguma informação incorreta ou algum erro no texto?

Importante: ‘Todos os Conteúdos divulgados decorrem de informações provenientes das fontes aqui indicadas, jamais caberá ao Guia do CFTV qualquer responsabilidade pelo seu conteúdo, veracidade e exatidão. Tudo que é divulgado é de exclusiva responsabilidade do autor e ou fonte redatora.’

Quer enviar suas notícias? Envie um e-mail para noticias@guiadocftv.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.