Em 2009, câmeras de segurança registram crimes e facilitam investigações

As câmeras de segurança tornaram-se protagonistas na investigação
criminal. Em 2009, registraram flagrantes de assaltos, homicídios e
acidentes de trânsito. Suas imagens ilustraram reportagens e circularam
pela internet. O UOL Notícias compilou alguns dos crimes mais emblemáticos do ano registrados por câmeras de segurança.

Morte no AfroReggae
Um dos casos mais notórios de violência registrado por câmeras de
segurança foi o assassinato do coordenador do AfroReggae Evandro João
da Silva, no centro do Rio de Janeiro.

O crime ocorreu na madrugada de 18 de outubro na esquina da rua do
Ouvidor com a rua do Carmo. Rui Mário Mauricio Macedo, o "Romarinho",
35, e Reginaldo Martins da Silva, o Renge, 31, caminhavam pela rua
quando encontraram Evandro, que ia para uma boate. Após anunciarem um
assalto, Romarinho e Renge entraram em luta corporal com o coordenador
do AfroReggae. Com a vítima no chão, Renge atirou.

Enquanto Evandro agonizava, os criminosos roubaram seu tênis, jaqueta,
celular e carteira. Instantes depois, uma câmera registrou a passagem
de um carro da polícia que não socorreu a vítima. Outra câmera mostrou
o momento em que os policiais abordaram os criminosos e tomaram os
pertences roubados de Evandro.

O capitão Denis Leonard Nogueira Bizarro e o cabo Marcos de Oliveira
Salles liberaram os dois suspeitos do crime e ficaram com os objetos do
coordenador do AfroReggae.

Já a vítima agonizou no local até morrer. Os policiais envolvidos no
caso foram presos, de forma preventiva, na carceragem da PM no Rio. Em
18 de novembro, a juíza titular da Auditoria da Justiça Militar do
Estado do Rio, Ana Paula Barros, aceitou a denúncia da Promotoria do
Rio contra os dois policiais e manteve a prisão de ambos. Em 17 de
dezembro, no entanto, a Justiça concedeu liberdade provisória aos dois.

Com o auxílio das câmeras, a polícia localizou e prendeu Renge e
Romarinho em menos de 10 dias. Ambos responderão por latrocínio – roubo
seguido de morte.


Jogador de futebol acusado de matar a mulher

As câmeras também foram importantes para a policia na investigação da
morte da recepcionista Ana Cláudia Melo da Silva, 18, assassinada
supostamente pelo seu marido, o jogador de futebol Janken Ferraz
Evangelista, 29. Silva foi morta a facadas no dia 22 de março no
apartamento onde vivia, no Jardim da Saúde, zona sul de São Paulo.

Câmeras de segurança registraram o momento em que Janken entrou no
elevador acompanhado da mulher e do filho, Gabriel, de apenas um ano e
oito meses, após terem assistido à vitória do Corinthians sobre o
Santos, no Pacaembu.

Horas depois, as mesmas câmeras flagraram o suspeito saindo com o
filho, mas sem a mulher e com uma camisa diferente. A jovem foi
encontrada morta no chão do banheiro de empregada do apartamento, com
diversos ferimentos de faca no pescoço.

Três dias após o crime, uma denúncia anônima levou a polícia a
encontrar e prender Janken em Teixeira de Freitas (BA). Em 22 de maio,
a juíza Luciana Piovesan, após ouvir 20 pessoas, decidiu que Janken
será levado a júri popular.



Homem "ensina" crianças a praticar crimes em SC

Homem grava vídeo no qual ensina o filho e a sobrinha a praticar
crimes. Foragido e procurado pela polícia, acusado por sequestro e
outros crimes, ele foi detido em Itajaí (SC)

Deputado dirige alcoolizado e mata dois no PR
Outro caso registrado por câmeras foi a morte dos estudantes Gilmar
Rafael Souza Yared, 26, e Carlos Murilo de Almeida, 20, na madrugada de
7 de maio, após um acidente de trânsito causado pelo deputado estadual
Fernando Carli Filho (PSB-PR), em Curitiba.

Imagens gravadas por uma câmera de um posto de gasolina mostraram o
carro de Carli Filho em alta velocidade momentos antes do acidente.
Outra câmera flagrou o deputado consumindo grande quantidade de bebida
alcoólica em um restaurante da capital paranaense.

Investigações revelaram que o ex-deputado, que renunciou ao mandato em
29 de maio, foi multado 30 vezes nos últimos seis anos, sendo 23 por
excesso de velocidade. No momento do acidente, Carli, que acumulou 130
pontos na carteira de motorista, estava dirigindo a 167 km/h.

Exame de dosagem alcoólica divulgado posteriormente pelo IML (Instituto
Médico Legal) indicou que o ex-deputado tinha 7,87 decigramas de álcool
por litro de sangue, quase quatro vezes mais o limite permitido.

A polícia indiciou Carli Filho em 11 de agosto. A audiência de
instrução e julgamento do acusado deve acontecer em 4 de fevereiro.
Serão ouvidas pelo menos 38 pessoas entre testemunhas de acusação e
defesa, peritos e o acusado.



Homem provoca acidente de avião em Goiânia

No dia 12 de março, câmeras do shopping Flamboyant, em Goiânia,
flagraram o momento em que um bimotor caiu sobre 23 veículos que
estavam no estacionamento. Quem pilotava a aeronave era Kleber Barbosa
da Silva, 31, que estava acompanhado por sua filha Penélope, 5. Ambos
morreram na queda.

Silva roubou o avião no mesmo local onde aprendeu a pilotar: o
Aeroclube de Luziânia. Antes de cair, ele fez voos rasantes, quase se
chocou com prédios e atingiu de raspão uma roda gigante. Segundo sua
mulher, ele enfrentava problemas emocionais e teria planejado o
acidente. No dia da queda do avião, ela foi agredida pelo marido com um
extintor na beira de uma estrada vicinal e ficou desacordada.

Duas semanas após o acidente, o resultado de um exame de DNA confirmou
que Silva violentou uma garota de 13 anos uma semana antes de lançar o
bimotor contra o shopping Flamboyant, em Goiânia.


"Multidão" rouba agência bancária na zona leste de SP
Grupo numeroso, portando armas de grosso calibre, invadem agência
bancária na zona leste, destroem o que veem pela frente e furtam caixas
eletrônicos



Outros crimes

Um dos principais especialistas em reprodução assistida do país, o
médico Roger Abdelmassih, 66, esteve no centro de um escândalo sexual.
Ele é acusado de estupro e atentado violento ao pudor em 39 pacientes ,
embora ao menos 60 mulheres relatem terem sido vítimas de abuso durante
consultas médicas.

Um dos pioneiros da fertilização in vitro no Brasil, o médico teve a
prisão decretada em 17 de agosto de 2009 pelo o Juiz da 16ª Vara
Criminal de São Paulo, Bruno Paes Stranforini. Desde então, permanece
preso no 40º DP (Vila Maria) e teve cinco pedidos de liberdade negados
pela Justiça.


Câmeras registram atuação da "Gangue da marcha a ré", que utiliza
carros e motos para arrombar portões de estabelecimentos e praticar
furtos

No Amazonas, o então deputado estadual Wallace Souza (PP) foi preso
preventivamente e teve o mandato cassado em outubro por supostamente
comandar uma quadrilha que encomendava mortes para aumentar a audiência
do programa que o deputado apresentava na televisão. Wallace chegou a
ficar foragido por quatro dias antes de se entregar à Justiça.

Preso primeiramente na Unidade Prisional do Puraquequara (UPP), Wallace
teve que ser transferido para cela especial do Comando de Policiamento
Especial (CPE) para evitar uma rebelião. Em 5 de novembro, o MP pediu a
prisão preventiva do vice-prefeito de Manaus, Carlos Souza (PP), e do
vereador Fausto Souza (PP) por associação ao tráfico de drogas. Ambos
são irmãos de Wallace. Em 16 de dezembro, a Justiça concedeu liberdade
provisória a Carlos.

No dia 31 de janeiro, o universitário Osíris Del Corso, 22, foi morto e
a sua namorada, Monik Pegorari de Lima, 23, molestada e baleada em
Matinhos (PR) enquanto faziam uma trilha no morro do Boi. O acusado
pelo crime foi Juarez Ferreira Pinto, que permanece preso.

Guarda civil mata inocente, e moradores se revoltam em Heliópolis (SP)
 
Revoltados com a morte de uma estudante de 17 anos, atingida por uma
bala disparada por um guarda civil metropolitano, moradores de
Heliópolis, em São Paulo, realizam protesto e são reprimidos pela PM

Um outro homem, de aparência semelhante a Juarez, também foi acusado
pelo crime e chegou até a ser preso. Diante do surgimento de um novo
acusado, a defesa de Juarez fez vários pedidos de habeas corpus, mas
todos foram negados pela Justiça.

Na favela de Heliópolis, a maior de São Paulo, a morte de uma inocente,
baleada por um a Guarda Civil de São Caetano do Sul (SP), revoltou os
moradores. Ana Cristina de Macedo, 17, caminhava em uma rua da favela
quando foi atingida por uma bala disparada por Vicente Pereira Passos,
45, que perseguia supostos ladrões que teriam roubado um carro.

Por ser da Guarda Civil de São Caetano do Sul, Passos não poderia atuar
no município de São Paulo. Ele foi formalmente indiciado por homicídio
culposo (sem intenção de matar) em 15 de setembro após prestar
depoimento ao delegado Gilmar Contreras, titular no 95º DP
(Heliópolis).


Origem:
UOL

 
Marcelo Peres
Editor do Guia do CFTV

Avalie esta notícia, mande seus comentários e sugestões. Encontrou alguma informação incorreta ou algum erro no texto?

Escreva para mim:
mpperes@guiadocftv.com.br

Importante:

‘Todos os Conteúdos divulgados decorrem de informações provenientes das fontes aqui indicadas,
jamais caberá ao Guia do CFTV qualquer responsabilidade pelo seu conteúdo, veracidade e exatidão.
Tudo que é divulgado é de exclusiva responsabilidade do autor e ou fonte redatora.’

Eng° Marcelo Peres

Eng° Eletricista Enfase em Eletrônica e TI, Técnico em Eletrônica, Consultor de Tecnologia, Projetista, Supervisor Técnico, Instrutor e Palestrante de Sistemas de Segurança, Segurança, TI, Sem Fio, Usuário Linux.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.