Como a tecnologia XGPON está alavancando a capacidade das redes ópticas

Dobro da quantidade de atendimentos a usuários por porta PON e um aumento de largura de banda em até quatro vezes estão entre as revoluções proporcionadas por ela.

Um dos fatores que tem colocado o mercado de telecomunicações como um dos mais favoráveis do país é a capacidade de inovar e melhorar aspectos como a qualidade do serviço e, consequentemente, do setor. É o caso da tecnologia XGPON, que está revolucionando as redes ópticas no Brasil com um impacto positivo no mercado de telecomunicações.

De acordo com o Supervisor de Vendas Corporativas da Fibracem, indústria brasileira especializada no setor de comunicação óptica, Adriano Rodrigues Fraga, o fato dela trabalhar nos comprimentos de onda de 1270nm à 1577nm, a principal revolução da XGPON é permitir aos Provedores de Serviços de Internet (ISPs), dobrar a oferta de atendimentos a usuários por porta PON, de 1:128 para 1:256.

Qual o caminho percorrido pela XGPON?
A tecnologia trafega pela fibra óptica monomodo (SM) e splitters ópticos, que espalham o sinal óptico, através da divisão do comprimento de onda. Estes, são considerados os itens passivos da solução, ou seja, que não possuem alimentação elétrica e componentes eletrônicos. Segundo Fraga, estes produtos, já disponibilizados ao mercado, pela Fibracem, atuam como um meio de transporte de dados, voz e imagem, que é transmitido através das fibras ópticas e componentes ópticos, no sentido do Terminal de Linha Óptica (OLT), instalado nos ISPs, para o Terminal de Rede Óptica (ONT), localizado no usuário final, ou vice-versa.

Aumento da demanda
Para o especialista, a tecnologia faz com que as possibilidades se ampliem, também, para os profissionais de campo. De acordo com ele, “com o aumento da capacidade de disponibilização de terminais de rede óptica (ONT), significará que instaladores de planta externa poderão captar ainda mais trabalho, ou seja, um crescimento considerável na demanda”, afirma.

A XGPON, também conhecida como 10-GPON é considerada uma evolução da tecnologia GPON. Ela é padronizada pela norma ITU-T G.987, desenvolvida por uma das principais entidades internacionais reguladoras do setor, a International Telecommunications Union (ITU-T). Ainda para ele, mesmo sendo uma evolução, ambas tecnologias coexistirão por um bom tempo. “Isso ocorrerá pois, ainda que com uma versão mais nova sendo disponibilizada no mercado pelos provedores, a GPON continuará sendo utilizada até que os clientes decidam investir na tecnologia mais recente, o que pode acontecer de forma gradual, de médio a longo prazo”, ressalta.

Benefícios para o consumidor final
De acordo com o especialista, as vantagens da tecnologia, também serão percebidas pelos usuários de internet.

“Com a XGPON disponível ao mercado, os consumidores finais, terão as suas demandas atendidas mais rapidamente, em função da maior capacidade de atendimento por porta PON e ainda, ‘constatarão’ um aumento significativo da largura de banda. Podendo usufruir de uma taxa de downstream (download), quatro vezes superior, passando para 10 Gbps, e uma taxa de upstream (upload) de 2.5 Gbps, ou seja, duas vezes superior as atuais”, finaliza.

origem:

Sirlei Madruga de Oliveira

Editora do Guia do CFTV

 sirlei@guiadocftv.com.br

Avalie esta notícia, mande seus comentários e sugestões. Encontrou alguma informação incorreta ou algum erro no texto?

Importante: ‘Todos os Conteúdos divulgados decorrem de informações provenientes das fontes aqui indicadas, jamais caberá ao Guia do CFTV qualquer responsabilidade pelo seu conteúdo, veracidade e exatidão. Tudo que é divulgado é de exclusiva responsabilidade do autor e ou fonte redatora.’

Quer enviar suas notícias? Envie um e-mail para noticias@guiadocftv.com.br

Sirlei Madruga

Sirlei Maria Guia do CFTV

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.