Cinturão Digital no Ceará

O governador Cid Gomes assina no último dia 17, às 11h30min, na sede
da Empresa de Tecnologia da Informação do Ceará – Etice (Av. Pontes
Vieira, 220), a Ordem de Serviços para fornecimento e instalação da
rota óptica do projeto Cinturão Digital. A obra, que deve ter início
ainda em dezembro, prevê a universalização da banda larga no Estado do
Ceará.

Com a implantação do projeto Cinturão Digital, o Ceará dará um
salto expressivo, pois ao final do projeto 82% da área urbana do Ceará
terá acesso a serviços digitais em alta velocidade. Para se ter idéia
do que isso representa, atualmente 4% da área urbana cearense dispõe de
Internet em uma velocidade razoável, enquanto o índice nacional é de
11%. Isso garantirá, a possibilidade de promover a inclusão digital de
grande parte da população cearense, além da redução dos gastos públicos.

 

    O custo total para a implantação do Cinturão Digital será de
R$ 55 milhões, sendo R$ 50 milhões para a construção da infra-estrutura
da Rede e o restante para aquisição de equipamentos e instalação das
antenas Wimax. A alta velocidade do acesso disponibilizará à população
cearense não só o acesso à internet, mas também outros serviços de suma
importância para o desenvolvimento tecnológico do Estado, tais como:
videoconferência, educação à distância, telessaúde, telefonia celular,
telefonia IP (Skype) e TV Digital.

 
    O projeto Telessaúde, a ser implantado nos hospitais pólos do
interior, permitirá a realização de diagnóstico, exames e cirurgia à
distância, evitando o deslocamento do paciente à Fortaleza. Outros
projetos do Governo que também serão beneficiados pelo Cinturão é o
Dragão Digital, que visa a atração de empresas de base tecnológica; e o
E-Jovem, criado para incluir jovens egressos do ensino médio no mundo
da informática.
 

    Mais iniciativas
que deverão ser utilizadas pela infra-estrutura do Cinturão: a
digitalização da TVC, o incentivo ao desenvolvimento tecnológico
(Parque Tecnológico), a automatização de postos da secretaria da
fazenda (Sefaz), o Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE), do
Governo Federal, e muitos outros. Vale mencionar, ainda que a banda
larga tem grande poder de atração de novas empresas de base
tecnológicas, notadamente no interior do Estado, onde o ambiente de
negócios será fortalecido.
    Através da
integração do Cinturão Digital à rede metropolitana GigaFor, já
existente em Fortaleza, será possível a instalação das 250 câmeras de
vigilância eletrônica na capital, pois a infra-estrutura digital
garante o suporte tecnológico para o monitoramento da rede de
vigilância por 24 horas.

 
    A infra-estrutura
do Cinturão Digital se dá através da criação de um anel de fibras
ópticas, que ligará as cidades de Fortaleza, Milagres, Tauá e Sobral. A
Rede utilizará a infra-estrutura de distribuição de alta tensão da
Companhia Energética do Ceará (Coelce) e da Companhia Hidrelétrica do
São Francisco (Chesf), em uma extensão de 3 mil quilômetros. A partir
dessa infra-estrutura, 25 pontos serão conectados por meio de
ramificações de fibras ópticas.
 
    Para que os
serviços digitais disponibilizados via Cinturão Digital chegue às
residências, a complementação da distribuição de dados será feita por
meio da tecnologia Wimax. Wimax é uma rede sem fio cuja capacidade de
transmissão de dados ultrapassa 100 mbps (megabites por segundo),
atingindo um raio entre 20 e 30 quilômetros. Em termos comparativos,
todos os órgãos do governo estadual, hoje, compartilham conexões de até
16 mbps, portanto tecnologia ideal para que os dados fluam.

    A manutenção dessa
infra-estrutura será efetuada pelas empresas interessadas em prover
serviços por essa rede, garantindo assim sua continuidade. Porém o
custo da prestação do serviço não deve ser repassado ao usuário final,
visto que a intenção do Governo é promover a inclusão digital de todo o
Ceará. Para isso, a métrica a ser utilizada pelo Estado para
verificação do sucesso do projeto será o maior número de pessoas
conectadas à Rede banda larga, ferramenta indispensável para o
desenvolvimento econômico do Estado.

 

Origem: http://www.antonioviana.com.br

 
Marcelo Peres
Editor do Guia do CFTV

Avalie esta notícia, mande seus comentários e sugestões. Encontrou alguma informação incorreta ou algum erro no texto?

Escreva para mim:
mpperes@guiadocftv.com.br

Importante:

‘Todos os Conteúdos divulgados decorrem de informações provenientes das fontes aqui indicadas,
jamais caberá ao Guia do CFTV qualquer responsabilidade pelo seu conteúdo, veracidade e exatidão.
Tudo que é divulgado é de exclusiva responsabilidade do autor e ou fonte redatora.’

Eng° Marcelo Peres

Eng° Eletricista Enfase em Eletrônica e TI, Técnico em Eletrônica, Consultor de Tecnologia, Projetista, Supervisor Técnico, Instrutor e Palestrante de Sistemas de Segurança, Segurança, TI, Sem Fio, Usuário Linux.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.