Laudo aponta ajuda de dentro do BC

Fortaleza: A declaração de Alemão de que a quadrilha que furtou o Banco Central em Fortaleza contou com colaboração de gente de dentro da instituição confirma a conclusão a que chegaram os peritos criminais da Polícia Federal durante a investigação: que seria impossível os assaltantes alcançarem o caixa-forte por meio de um túnel de 80 metros de extensão se não tivessem recebido informações privilegiadas sobre a estrutura do prédio e o sistema de segurança.

“A quadrilha teve necessidade de levantamento topográfico prévio e contato com informações relativas à espessura da parede, posição dos objetos no interior do caixa-forte e disposição do sistema de segurança, contando com as plantas do edifício, em especial do caixa-forte, e com outras informações privilegiadas para a execução do túnel com tamanha precisão, o que reforça a hipótese de participação de pessoas que trabalham ou trabalharam no Banco Central ou na construção do edifício ou na instalação dos sistemas de segurança”, apontou o laudo pericial assinado pelos peritos criminais federais Flávio Segundo Wagner e Marcelo de Lawrence Bassay Blum, emitido em 2005.

Na sentença de condenação de José Marleudo de Almeida, Jean Ricardo Galian e Lucivaldo Laurindo, anunciada em 2007, o depoimento de um técnico em eletrônica do Banco Central (cujo nome O POVO omite, por questão de segurança) também indica que a quadrilha sabia o que fazer para retirar o dinheiro do cofre sem ser percebida. De acordo com o técnico, o buraco de acesso ao cofre foi feito no piso, única parede de concreto que não contava com sensores de impacto. Além disso, embora o sistema de segurança não gravasse as imagens captadas pelas cinco câmeras do caixa-forte, o técnico disse que não entendia como o vigilante de plantão não percebeu a movimentação de pessoas nas imagens transmitidas para a central.

O POVO solicitou à assessoria de imprensa do Banco Central informações sobre a sindicância da instituição para investigação de possível colaboração interna no furto milionário, concluída em 2005 sem que apontasse o envolvimento de funcionários ou servidores. A assessoria prometeu responder aos questionamentos, mas não retornou ligação até o fechamento da edição. Sobre as declarações de Alemão, a assessoria de imprensa informou que o Banco Central não irá se pronunciar, enquanto não for notificado oficialmente.

Origem: O Povo
Link: http://www.opovo.com.br/opovo/fortaleza/769191.html

Marcelo Peres
Editor do Guia do CFTV

Avalie esta notícia, mande seus comentários, de suas sugestões. Encontrou alguma informação incorreta ou algum erro no texto?

Escreva para mim:
mpperes@guiadocftv.com.br

Eng° Marcelo Peres

Eng° Eletricista Enfase em Eletrônica e TI, Técnico em Eletrônica, Consultor de Tecnologia, Projetista, Supervisor Técnico, Instrutor e Palestrante de Sistemas de Segurança, Segurança, TI, Sem Fio, Usuário Linux.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.