Parks completa 42 anos e prevê fechar 2008 com faturamento de R$ 52 milhões

São Paulo, Agosto de 2008 –  Há 42 anos, Paulo Renato Ketzer de Souza
era professor universitário de eletrônica da Universidade Federal do
RS. No ano de 1966 ele fundou uma pequena empresa, que anos mais tarde
iria se chamar Parks Equipamentos Eletrônicos Ltda, constituída de um
pequeno laboratório onde desenvolveu um Circuito Fechado de TV (CFTV)
para verificação de cheques, afim de atender a necessidade de um banco
gaúcho . Nesse momento nascia a Parks.

Com sua sede no centro de Porto Alegre, a empresa criou uma série de produtos como amplificadores, caixas acústicas e sistemas de sonorização para grandes ambientes como anfiteatros e aeroportos. Com um novo decreto que obrigava agências bancárias a ligar-se com os Órgãos Policiais, a Parks desenvolveu um dispositivo que transmitia um sinal de alarme pela rede telefônica sem que ocupasse a linha do assinante, era o primórdio do conceito de ADSL. “A história da Parks se resume ao antes de depois dos alarmes bancários“, diz o diretor-presidente da Parks, Paulo Renato.

Em 1971 a Parks tinha seis funcionários que montavam os produtos ainda de forma artesanal. Com a demanda do mercado dos alarmes bancários, foi preciso formar uma equipe de instaladores para atender as agências bancarias espalhadas pelos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

No ano de 1976, no Centro de Pos Graduação da Ciência da Computação da Universidade Federal do RS, uma equipe desenvolveu o primeiro modem brasileiro de laboratório. A Parks então transformou o protótipo de laboratório em um produto comercial. Em 1978 a Embratel abriu uma licitação para implementação de sua rede de transmissão de dados e com isso a Parks viabilizou a produção do primeiro modem nacional de 1200 bps. A partir desta data, todos os anos, a Embratel fazia licitações para equipar sua rede chamada Transdata, possibilitando com isso que a Parks fosse desenvolvendo modems de maior velocidade e criando uma linha completa de produtos de comunicação de dados.

Com a área de modems crescendo, em 1986 a Parks foi dividida em duas empresas, a Parks Sistema Eletrônicos, de serviços, manutenção e monitoração de alarmes bancários e a Parks Informática SA, de produtos de informática. Esta última com o objetivo de captar as leis de incentivo de informática o que fez com que a empresa chegasse a ter 300 acionistas.

Em 19992000 a Parks buscou um parceiro na Ásia para fornecer ao mercado brasileiro modens ADSL porque estava iniciando o serviço de banda larga no Brasil, especialmente o serviço Speedy na Telefônica. Devido a grande demanda de mercado e por exigência dos clientes, a Parks construiu uma nova fábrica para atender a demanda por ADSL. Em 2001 a Parks inaugurou sua moderna fábrica no Distrito Industrial de Cachoeirinha – RS onde está até os dias de hoje. Por um período a Parks teve a maior fatia do mercado em ADSL, porém com a chegada de modems ADSL provenientes do mercado asiático muito mais baratos a empresa deixou de fabricá-los. Com a queda do mercado mundial de telecomunicações em 2001, a empresa passou por uma crise financeira que durou de 2002 a 2005. “A empresa precisa sempre se reinventar, procurar novas oportunidades e manter a perseverança”, diz o diretor-presidente, Paulo Renato que deposita ainda sua fé em Deus à superaçã o da crise.

A empresa renegociou suas dívidas pagando com recursos próprios e conseguiu, portanto se reerguer no mercado.

Em 2007, a Parks estabeleceu novas alianças comerciais, investindo em mercados de nicho, tais como o WiMAX. Além disso, lançou no mercado produtos como o NetAir 209R que possibilita conexão rápida à internet sem fio através da operadora de telefonia celular, além do início da fabricação do modem digital 8 fios disponível nas versões Powerlink 844 4G, Powerlink 844 E e Powerlink 844 GE.

O ano de 2008 está sendo excelente para a empresa. Em março, a Parks fez uma aliança estratégica com a Portugal Telecom Inovação, braço tecnológico da Portugal Telecom. O acordo contempla a fabricação de produtos da Portugal Telecom Inovação na fábrica da Parks, localizada em Cachoeirinha. Com isso, a Parks incrementará o portfolio de soluções para as operadoras. A empresa também investiu US$ 2,5 milhões na expansão da sua planta industrial com a aquisição de novos equipamentos para a sua fábrica em Cachoeirinha (RS).  Os investimentos são para atender a produção de Wimax no Brasil, atualização tecnológica e ampliação do mercado (ECM).
 
Hoje a Parks emprega hoje 135 pessoas, possui uma fábrica em Cachoerinha – RS que conta com 12000 m2 de área, uma unidade de manufatura modelo e com certificação ISO 9000:2000 em todos os seus processos, um escritório de negócios em São Paulo. A empresa prevê finalizar o ano de 2008 com um faturamento de R$ 52 milhões.

Origem: Trópico Comunicação


Marcelo Peres
Editor do Guia do CFTV

Avalie esta notícia, mande seus comentários e sugestões. Encontrou alguma informação incorreta ou algum erro no texto?

Escreva para mim:
mpperes@guiadocftv.com.br

Importante:

‘Todos os Conteúdos divulgados decorrem de informações provenientes das fontes aqui indicadas,
jamais caberá ao Guia do CFTV qualquer responsabilidade pelo seu conteúdo, veracidade e exatidão.
Tudo que é divulgado é de exclusiva responsabilidade do autor e ou fonte redatora.’

Eng° Marcelo Peres

Eng° Eletricista Enfase em Eletrônica e TI, Técnico em Eletrônica, Consultor de Tecnologia, Projetista, Supervisor Técnico, Instrutor e Palestrante de Sistemas de Segurança, Segurança, TI, Sem Fio, Usuário Linux.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.