Cristal líquido com auto-alinhamento poderá simplificar fabricação de telas LCD

Uma nova técnica, capaz de fazer com que os cristais líquidos se alinhem verticalmente de forma autônoma, poderá permitir o desenvolvimento de telas planas mais baratas. Embora já estejam largamente disseminadas, as telas de cristal líquido (LCD) ainda são de construção complexa – o que as torna caras.

Nas telas LCD, uma rede de transistores controla os cristais líquidos, que têm suas características ópticas alteradas em resposta a alterações nos sinais elétricos controlados pelos transistores.

Seu processo de fabricação é complexo, envolvendo uma grande seqüência de passos – e, por decorrência, aumentando a chance de defeitos. Um passo específico, chamado de emborrachamento, utiliza uma película de polímero para criar o alinhamento dos cristais líquidos entre as duas camadas de vidro onde eles operam. A aplicação dessa camada pode danificar alguns transistores e introduzir poeira no interior da tela, diminuindo o rendimento do processo produtivo.

Agora, pesquisadores do Instituto de Tecnologia da Geórgia, Estados Unidos, adicionaram cadeias laterais às moléculas de polímero, eliminando a necessidade da etapa de emborrachamento.

A nova técnica utiliza a fotopolimerização “in-situ” de monômeros de acrilato de alcila na presença de cristais líquidos nemáticos para criar uma matriz celular de gotas de cristal líquido. A estrutura química do polímero resultante controla o alinhamento das moléculas de cristal líquido. Durante o procedimento, as moléculas se alinham automaticamente.

Além de simplificar o processamento das telas LCD, o novo processo poderá ser utilizado em novos tipos de redes de difração. E, como os cristais líquidos ficam alinhados verticalmente, o estado desligado dos pixels fica completamente escuro. Outra vantagem é a forte ligação que os cristais líquidos induzem entre as duas camadas superficiais, o que poderá permitir a construção de telas mais robustas, menos sujeitas a deformações mecânicas e pressões.

Embora ofereça várias vantagens, antes de chegar ao mercado o novo processo deverá demonstrar a mesma confiabilidade de funcionamento de longo prazo, o que exigirá o prosseguimento das pesquisas.

Fonte: Inovação Tecnológica

Marcelo Peres
Editor do Guia do CFTV

Avalie esta notícia, mande seus comentários, de suas sugestões. Encontrou alguma informação incorreta ou algum erro no texto?

Escreva para mim:
mpperes@guiadocftv.com.br

Eng° Marcelo Peres

Eng° Eletricista Enfase em Eletrônica e TI, Técnico em Eletrônica, Consultor de Tecnologia, Projetista, Supervisor Técnico, Instrutor e Palestrante de Sistemas de Segurança, Segurança, TI, Sem Fio, Usuário Linux.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.