Articulação de Mulheres pede apuração de caso de invasão de privacidade

Bahia – Articulação de Mulheres pede apuração de caso de invasão de privacidade no Supermercado GBarbosa.

Enquanto a direção da rede de supermercados GBarbosa divulgou nota negando a denúncia de uma cliente sobre invasão de privacidade, o comitê político da Articulação de Mulheres Brasileiras (AMB) cobra apuração. “Este caso precisa ser muito bem apurado, pois trata-se de grave desrespeito à mulher”, cobrou Sandra Muñoz, pesquisadora e estudante de pedagogia da Universidade Federal da Bahia, que integra o Comitê.

A denúncia foi registrada pela administradora de empresas Rosemery Rodrigues da Silva, 39 anos, na 9ª CP (Delegacia da Boca do Rio). Ela notou que uma câmera no teto da loja estava posicionada em local que permite a filmagem do interior do provador de roupas feminino. Sandra Muñoz avisou que a AMB pretende procurar a administradora e que vai propor uma ação conjunta. “Acho que nós também podemos ajudar nessa luta. Não podemos permitir que coisas como essas aconteçam”, incentivou.

Nesta terça-feira, na Delegacia da Boca do Rio, não havia informações disponíveis sobre o andamento do caso. Uma funcionária se limitou a relatar que só a delegada plantonista que registrou a ocorrência poderia esclarecer.

A delegada de plantão no último domingo era Maria Cristina Pereira, que volta à unidade no dia de quarta-feira. “As autoridades têm que procurar saber se as filmagens estão na loja, tomar conhecimento e garantir a privacidade das clientes. Nem sob alegação de medida de segurança podemos permitir ações que exponham tanto as pessoas”, propôs a representante da AMB.

Nota – A direção do GBarbosa garantiu “que sempre defendeu e zelou pela total integridade dos clientes, respeitando sua privacidade”. Segundo a nota, “tão logo tomou conhecimento da reportagem, a direção da rede tomou todas as providências imediatas no sentido de apurar os fatos, acionando profissionais das áreas administrativa e jurídica”.

E segue a comunicação da rede: “Sabedor de que tal atitude fere os princípios da lei e do desrespeito ao cidadão o GBarbosa jamais  permitiria o uso de tal recursos”. Segundo a direção, as câmeras de segurança instaladas no interior das lojas servem “tão-somente para visualização do salão e de alguns setores do estabelecimento”. 

 

Origem: A Tarde

 
Marcelo Peres
Editor do Guia do CFTV

Avalie esta notícia, mande seus comentários e sugestões. Encontrou alguma informação incorreta ou algum erro no texto?

Escreva para mim:
mpperes@guiadocftv.com.br

Importante:

‘Todos os Conteúdos divulgados decorrem de informações provenientes das fontes aqui indicadas,
jamais caberá ao Guia do CFTV qualquer responsabilidade pelo seu conteúdo, veracidade e exatidão.
Tudo que é divulgado é de exclusiva responsabilidade do autor e ou fonte redatora.’

Eng° Marcelo Peres

Eng° Eletricista Enfase em Eletrônica e TI, Técnico em Eletrônica, Consultor de Tecnologia, Projetista, Supervisor Técnico, Instrutor e Palestrante de Sistemas de Segurança, Segurança, TI, Sem Fio, Usuário Linux.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.