Odebrecht: tecnologia de rede da nova sede inaugura fase e se estende a demais unidades

Com rede redundante Categoria 6, sistema de gerenciamento e backbone em fibra óptica – da CommScope Enterprise Solutions fornecida pelo Grupo Policom e implementada pela  Servline –, a rede de cabeamento estruturado da sede do Grupo Odebrecht na capital paulista tornou-se referência e foi estendida a unidades em São Paulo e no Rio de Janeiro.

O Grupo Odebrecht mudou sua sede na capital paulista e reuniu algumas empresas do grupo em um mesmo espaço, no edifício Eldorado Business Tower, que, devido às tecnologias aplicadas, passou a ser visto pela empresa como referência tecnológica, padrão que está sendo paulatinamente estendido aos demais escritórios. A mudança para as novas instalações começou em junho e foi concluída em novembro de 2008 e desde então as unidades Villa-Lobos, na capital paulista, e Botafogo, na cidade do Rio de Janeiro, já passaram por modernização e incorporaram o novo padrão.

No total são mais de 4 mil pontos de voz e dados em rede de cabeamento estruturado Categoria 6, da SYSTIMAX Solutions® – marca líder em soluções de infra-estrutura de rede da CommScope Enterprise Solutions –, com iPatch® e software de gerenciamento, além de backbone em fibra óptica.  Instalados pela Servline, todos os materiais da rede foram fornecidos pelo Grupo Policom.

A tecnologia empregada permite o gerenciamento remoto de toda a infraestrutura de cabeamento estruturada, que está centralizada em São Paulo, no edifício Villa-Lobos.

 
A sede no Eldorado Business Tower

As instalações da sede do Grupo Odebrecht totalizam mais de 12 mil metros quadrados de área, distribuídos em sete andares do edifício Eldorado Business Tower, na esquina da Avenida Eusébio Matoso com a Marginal do Rio Pinheiros, ao lado do Shopping Eldorado, sendo cinco andares completos, parte do 25º pavimento mais a cobertura.

Neste local, a meta que norteou toda a infraestrutura de rede foi o controle total da rede, com rastreabilidade do dispositivo e da documentação e possibilidade de gerenciamento remoto a partir de contact center em Guarulhos via link MPLS  de 34 Mbps contratado junto à operadora de telecomunicações. A isso se somou a necessidade de performance, cumprimento de normas, qualidade de voz (toda a telefonia é IP), integridade dos dados e possibilidade de crescer cerca de 40% sem necessidade de substituição de infraestrutura física.

No total são 2.000 pontos de voz e dados, além de rede wireless e telefonia IP, para atendimento de 1.200 pessoas, com condições de suportar o crescimento até 2.000 colaboradores.

Além de todo o trânsito de informações administrativas do Grupo Odebrecht, como compartilhamento de arquivos, backup e softwares administrativos em geral, essa rede local suporta a telefonia IP, presente em toda a empresa, em diversos escritórios e em algumas obras. Essa rede marca uma nova fase tecnológica por se diferenciar do que era usualmente praticado no grupo, e atende todo o Conselho, Presidência e Diretoria da Odebrecht, além de empresas do Grupo, como a ETH e a OR.

Como explica Rui Mella Júnior, da equipe de Novos Projetos de Infraestrutura para as Américas, África e Europa, essa é a primeira vez que a empresa adota a tecnologia SYSTIMAX Solutions® e a Categoria 6, “que é – e continuará sendo – suficiente para a transmissão de dados por mais cinco anos, no mínimo, devido ao volume a ao tipo de tráfego que temos”.

Essa posição de Mella é reafirmada por um dos usuários já instalados na nova sede. Roberto Inoshita, gerente de TI da ETH – uma das empresas do Grupo Odebrecht –, que ressalta a ausência, desde a mudança, em junho de 2008, de ocorrência de manutenção emergencial de pontos de rede, sendo que anteriormente, “a média era de dois chamados diários relacionados ao cabling, gerando, nos usuários, a percepção de que ao corrigir um problema estávamos criando um novo”, explica.

Na ETH são 120 usuários e mais de 160 pontos ativos.  Devido às modificações introduzidas e, principalmente ao gerenciamento, Inoshita soma à inexistência de chamados emergenciais a capacidade de “tornar a ativação de novos pontos uma atividade simples e organizada. Na nossa realidade anterior, a equipe de cabeamento tinha de seguir todo o caminho do cabo para verificar onde ele estava conectado, pois a identificação existente não era confiável”. E soma a isso sua esperança de que “o gerenciamento do cabeamento seja realmente eficiente como se tem mostrado. Dessa forma, todas as atividades relacionadas a ele serão transparentes ao usuário”.

 
Arquitetura da rede

Com 2.000 pontos de voz e dados, a infraestrutura de cabeamento estruturada atende os mais de 12 mil metros quadrados da sede do Grupo Odebrecht, distribuídos em sete pavimentos, com todos os ativos em alta disponibilidade, uma vez que a rede é completamente redundante.

A rede é segmentada por zonas, de forma a facilitar as mudanças de layout, que são constantes devido ao crescimento contínuo da empresa, frisa Mella, explicando que para isso, cada andar foi dividido em duas grandes zonas, com caixas de consolidação no piso.

Para cada meio andar, explica Evandro Misson, diretor técnico da Servline, “optamos por usar dois cabos de fibras ópticas de três pares cada, encaminhadas através de shaft com dutos metálicos que interligam os andares, e cabos UTP para a rede horizontal, todos gerenciados pelo iPatch®”.

Em cada andar, os racks são espelhados para otimizar o uso de portas. São quatro racks Top Solution por andar, ou dois por zona. “Esses racks são fabricados pela Knürr, segundo projeto desenvolvido pelo Grupo Policom”, esclarece Breno Lourenço, gerente de contas do Grupo Policom.

Para assegurar a operação, em cada zona (ou meio andar) há um no-break de 3 KVA para os ativos de rede, sendo que para segurar o data center foi utilizado um equipamento de 40 KVA.

Um data center centraliza todos os equipamentos em cinco racks para servidores, dois para ativos de rede e mais dois para as operadoras de telecom, pois, além do link MPLS de 34 Mbps, há 300 canais de voz (10 x E1) com 2.000 ramais (DDR), que garantem a comunicação telefônica mesmo com queda da rede pública.

 
Villa-Lobos e Botafogo: unidades modernizadas

Após a mudança para as instalações no edifício Eldorado Business Tower, os quatro andares antes ocupados pela empresa no edifício Villa-Lobos foram modernizados, com substituição das instalações elétrica e de cabeamento estruturado.

Nesse espaço, foi instalado o CSC – Centro de Serviços Compartilhados, que reúne as áreas Fiscal e de Contas a Pagar, além de outras que prestam serviços para os negócios. A esses departamentos se somam Sistemas, Processos de Negócios, Novos Projetos de Negócios e a empresa Santo Antonio Energia, pertencente ao grupo e que ocupou dois dos andares.

Centralizando todas as operações de transmissão de dados e voz, está um novo data center, nos mesmos moldes do existente no edifício Eldorado, que compreende alta disponibilidade, dupla abordagem de link MPLS de operadoras distintas, com roteamento dinâmico, entre outras características.

Nessa unidade, são mais de 1.000 ramais DDR e mais de 1.000 pontos de rede. Além de gerenciamento local da rede e centralizado via web, a nova rede conta com pontos de consolidação sob o piso, plataforma Cisco e no-break de 40 KVA no data center e de 3 KVA, rack de telefonia nos andares e dois racks em cada andar.

Na cidade do Rio de Janeiro, os escritórios da Odebrecht modernizados para atender o mesmo modelo aplicado na nova sede estão em dois edifícios distintos, ambos no bairro do Botafogo.

São quatro meio-andares no Centro Empresarial Botafogo, com cerca de 800 pontos de voz e dados, além de telefonia IP, e mais dois andares em edifício na rua Carl Fisher, com mais de 100 pontos e interligação dos andares em fibra óptica LazrSpeed com duas fibras com três pares para cada meio andar. Vale destacar que o gerenciamento do cabeamento estruturado é centralizado em São Paulo.

Todas essas instalações passaram, assim, a contar a mesma topologia do Edifício Eldorado e com rede de cabeamento estruturado Categoria 6, instaladas pela Servline, com tecnologia iPatch, da SYSTIMAX Solutions® – marca líder em soluções de infraestrutura de rede da CommScope Enterprise Solutions – e software de gerenciamento, além de backbone em fibra óptica. Todos os materiais da rede foram fornecidos pelo Grupo Policom.

iPatch®: Específico para redes estruturadas, gerencia as conexões UTP e ópticas em tempo real e alerta sobre problemas

O sistema SYSTIMAX® iPatch® integra software e hardware de cobre e fibra para fornecer informações e controle sobre a infra-estrutura de telecomunicações em tempo real. O sistema iPatch® proporciona ao administrador de rede maior visão, ao coordenador de cabeamento um completo gerenciamento e ao técnico de cabeamento inteligência para otimizar a eficiência da rede e confiabilidade para reduzir o downtime indesejado. O sistema iPatch® adiciona monitoramento em tempo real dos canais de cobre e de fibra e integração com o software de gerenciamento.

O sistema iPatch® permite que cada porta seja continuamente monitorada, verificada e seu histórico armazenado em um banco de dados centralizado. Ordens de serviço eletrônicas eliminam o preenchimento de formulários, melhorando a produtividade e acelerando movimentações, inclusões e mudanças. O trabalho é guiado em cada patch panel por sinais visuais e auditivos para virtualmente eliminar erros de conexão, economizando tempo e trabalho para o bom funcionamento do data center.

Como explica Ricardo Mattiello, diretor de Contas Estratégicas da CommScope Enterprise Solutions, “quando ocorrem problemas, o iPatch® alerta automaticamente o administrador da rede, através de um sistema de notificação de eventos, e o técnico, através do equipamento iPatch® no local da conexão cruzada. Desse modo, os gerentes são instantaneamente alertados sobre intrusões na segurança ou sobre mudanças ou condições que possam afetar a continuidade dos negócios devido a downtime inesperado”.

O iPatch® é o único sistema de patch panels do mundo capaz de detectar e alertar os gerentes sobre intrusões ou desconexões físicas na região dos patch cords, enviando e-mails, mensagens de texto ou alertas SNMP. O tempo de resposta é tão rápido que, em muitos casos, os problemas são resolvidos antes mesmo que os telefones comecem a tocar. É possível até mesmo verificar um novo caminho antes de a mudança ser realizada, eliminando a busca de conexão por tentativa e erro.

Com a funcionalidade “IP Device Discovery”, os gerentes de TI podem adicionar configurações de switches (número e tipo de portas e cartões) e aumentar a segurança instantaneamente encontrando dispositivos críticos como servidores, com a funcionalidade de rastreamento.

O sistema iPatch® não requer patch cords proprietários ou mesmo componentes especiais. Ao invés de cabos atrás dos patch panels para conexão com o gerenciador do rack, é encontrado um único e organizado barramento, com todos os fios fora do caminho das laterais do rack, proporcionando espaço suficiente para trabalhar. Na frente, os patch panels iPatch® apresentam perfil muito baixo, para reduzir a sobra dos cordões e tornar as conexões fáceis de serem vistas e alteradas.

 
Sobre a Odebrecht

A Odebrecht é uma organização brasileira com padrões globais de qualidade. Presta serviços de Engenharia e Construção na maioria dos países da América do Sul, na América Central, nos Estados Unidos, na África, em Portugal e no Oriente Médio. Controla a Braskem, maior empresa petroquímica da América Latina, que exporta para mais de 60 países em todos os continentes.

O grupo desenvolve e administra projetos de infraestrutura, com foco em concessões e parcerias público-privadas. Desde 2007, investe no setor de Bioenergia, concentrada na produção de etanol e açúcar e na co-geração de energia a partir da produção de açúcar e álcool. Atua, ainda, nos segmentos de óleo e gás, engenharia ambiental e empreendimentos imobiliários e participa de empreendimentos nos setores de transportes, em Portugal, e de mineração, na África.

Com cerca de 59 mil integrantes, a Odebrecht é uma das pioneiras no Brasil na promoção de ações sociais e, adicionalmente aos seus compromissos empresariais, investe em projetos de educação, saúde e meio ambiente e apóia iniciativas culturais – ampliando, assim, seu escopo de contribuição ao desenvolvimento dos países aos quais serve.

A unidade ética e cultural dessa atuação é assegurada pela prática da Tecnologia Empresarial Odebrecht (TEO), conjunto de princípios, conceitos e critérios desenvolvidos desde 1944, ano da fundação da empresa individual de Norberto Odebrecht, que originou, no ano seguinte, a Construtora Norberto Odebrecht.

 
Sobre a CommScope

A CommScope, Inc. (NYSE: CTV – www.commscope.com) é líder mundial em soluções de infraestrutura para redes de comunicação. Por meio da marca Andrew Wireless Solutions®, a empresa é líder mundial em soluções de subsistemas de radiofreqüência para redes sem fio. Já a marca SYSTIMAX® concede à companhia a liderança mundial em sistemas de cabeamento estruturado para aplicações corporativas.

A CommScope é também o principal fabricante de cabo coaxial para aplicações coaxiais de fibra híbrida (HFC). Apoiada por pesquisa, a fabricante combina competência técnica e uma tecnologia própria com recursos mundiais de manufatura, proporcionando aos clientes soluções de infraestrutura para as redes globais de comunicação em evolução em mais de 130 países.

 
Sobre o Grupo Policom

Fundado em fevereiro de 1995 e líder nacional na distribuição de produtos e soluções completas para sistemas de cabeamento estruturado para aplicações de comunicação, automação predial e industrial, entre outras, o Grupo Policom (www.grupopolicom.com.br) atua em parceria com empresas de renome internacional, oferecendo produtos de qualidade inquestionável, tais como cabos, conectores, patch panel, rack, organizadores, equipamentos de medição e identificação, canaletas, conversores de mídia etc.

O Grupo Policom conta com profissionais altamente qualificados (RCDD da BICSI) e continuamente atualizados por empresas e por associações e instituições conceituadas no Brasil e no Exterior, mantendo biblioteca própria com significativo acervo de normas, manuais, livros e publicações em geral.

Tudo isso possibilita que o Grupo Policom, além de comercializar produtos e soluções completas, preste suporte operacional a seus clientes, ações que são reconhecidas com premiações nacionais que mostram a preferência e a capacitação de sua equipe, seja no cumprimento de prazos, seja no suporte à venda e no treinamento aos canais.  Mais recentemente, o Grupo Policom criou a Divisão Industrial Networks, que objetiva o atendimento de empresas do setor industrial.

Com sede na capital paulista, é formado pelas empresas Policom Cabos e Conectores (São Paulo-SP), Policom Telecomunicações (Rio de Janeiro-RJ), Paris Cabos (São Paulo-SP) e Policom Paraná (Curitiba-PR), mantendo unidades regionais em outras capitais brasileiras.

 

Origem: Katia Penteado – Vetor Comunicação

 
Marcelo Peres
Editor do Guia do CFTV

Avalie esta notícia, mande seus comentários e sugestões. Encontrou alguma informação incorreta ou algum erro no texto?

Escreva para mim:
mpperes@guiadocftv.com.br

Importante:

‘Todos os Conteúdos divulgados decorrem de informações provenientes das fontes aqui indicadas,
jamais caberá ao Guia do CFTV qualquer responsabilidade pelo seu conteúdo, veracidade e exatidão.
Tudo que é divulgado é de exclusiva responsabilidade do autor e ou fonte redatora.’

Eng° Marcelo Peres

Eng° Eletricista Enfase em Eletrônica e TI, Técnico em Eletrônica, Consultor de Tecnologia, Projetista, Supervisor Técnico, Instrutor e Palestrante de Sistemas de Segurança, Segurança, TI, Sem Fio, Usuário Linux.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.