Empresa descobre nova praga para Mac OS

A empresa de segurança da informação ESET informou na quinta-feira (27) a descoberta de uma nova versão do trojan Linux/Tsunami adaptado para atacar os sistemas operacionais Mac OS. Trata-se de uma variante do código malicioso surgido em 2002 para os sistemas operacionais Linux, que converte o sistema infectado em um botnet utilizado para realizar ataques DDoS. O trojan foi detectado como OSX/Tsunami.A.

Assim como a ameaça para Linux, o Tsunami possui uma lista de servidores IRC (Internet Relay Chat) e canais aos quais tenta se conectar. Quando é acionado, os aparelhos infectados podem atacar páginas webs por meio do envio de grandes quantidades de pedidos que sobrecarregam os servidores

O trojam também abre uma backdoor que pode ser utilizada para a instalação de um novo malware, além de realizar a atualização do código do Tsunami e, inclusive, o hacker pode assumir o controle completo do aparelho infectado.

O Tsunami é mais uma das inúmeras pragas criadas nos últimos meses específicas para computadores com sistema operacional da Apple, que conforme se popularizam também viram alvos dos cibercriminosos

 

origem: http://ipnews.com.br/telefoniaip/index.php?option=com_content&view=article&id=22546:empresa-descobre-nova-praga-para-mac-os&catid=67:seguranca&Itemid=566

 


Sirlei Madruga de Oliveira

sirlei@guiadocftv.com.br

Editora do Guia do CFTV

 

 

 

 


Avalie esta notícia, mande seus comentários e sugestões. Encontrou alguma informação incorreta ou algum erro no texto?

 

Importante:

Todos os Conteúdos divulgados decorrem de informações provenientes das fontes aqui indicadas, jamais caberá ao Guia do CFTV qualquer responsabilidade pelo seu conteúdo, veracidade e exatidão. Tudo que é divulgado é de exclusiva responsabilidade do autor e ou fonte redatora.’ 

Sirlei Madruga

Sirlei Maria Guia do CFTV

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.