Marca d’água protege vídeo contra pirataria

Companhia cria pequenas distorções em imagens, para identificar conteúdo. Quando encontra esses arquivos, alerta os detentores dos direitos autorais.

Uma empresa norte-americana criou o que chama de marca d’água para a identificação de conteúdo protegido pelos direitos autorais. A alternativa está de acordo com uma tendência no setor de vídeos on-line: há cerca de uma semana, um executivo do Google — a empresa responsável pelo YouTube — afirmou que a adoção de ferramentas para coibir a pirataria é uma prioridade.

A novidade da companhia Digimarc pode ser aplicada a vídeos, músicas e imagens. Segundo o site da revista “New Scientist”, essas marcas d’água causam pequenas distorções em cores, nitidez e brilhos de imagens — alterações imperceptíveis para o público.

A Digimarc utiliza um sistema de monitoramento que identifica quando um conteúdo com essas alterações está disponível na web. A companhia avisa o detentor dos direitos sobre a divulgação inapropriada desses arquivos, para que estúdios, emissoras, gravadoras ou outras empresas que contratam o serviço possam tomar as medidas necessárias.

“Muitos dos vídeos disponíveis no YouTube infringem a propriedade intelectual. Se sites desse tipo implementarem nosso software para checar os arquivos, poderão identificar os vídeos piratas [e evitar processos]”, afirmou Bruce Davis, diretor-executivo da Digimarc.

O site da rede CNN divulgou, na semana passada, que o Google irá utilizar tecnologia da empresa Audible Magic para lutar contra a pirataria. O sistema atua ao comparar a “impressão digital” do áudio de um vídeo a um grande banco de dados de material com direitos autorais.

Como é típico na internet, no entanto, esse tipo de ação antipirataria pode fazer com que a audiência do YouTube migre para outros sites, nos quais as violações de direitos autorais são ainda mais agressivas. Enquanto o YouTube impõe um limite de dez minutos para cada vídeo publicado, sites como o Dailymotion ou o Peekvids mostram filmes inteiros e episódios de TV pirateados.

Origem: http://g1.globo.com/Noticias/Tecnologia/0,,MUL8090-6174,00.html

Marcelo Peres
Editor do Guia do CFTV

Avalie esta notícia, mande seus comentários, de suas sugestões. Encontrou alguma informação incorreta ou algum erro no texto?

Escreva para mim:
mpperes@guiadocftv.com.br

Eng° Marcelo Peres

Eng° Eletricista Enfase em Eletrônica e TI, Técnico em Eletrônica, Consultor de Tecnologia, Projetista, Supervisor Técnico, Instrutor e Palestrante de Sistemas de Segurança, Segurança, TI, Sem Fio, Usuário Linux.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.