‘Câmeras Tagarelas’ no Espirito Santo

Imagine ser flagrado e ter a atenção chamada por uma câmera de videomonitoramento. As ‘câmeras tagarelas’, apelido para uma medida que deu certo na Serra e chega a Vitória neste verão, são câmeras de segurança que chamam a atenção dos cidadãos por meio de um equipamento de áudio adaptado ao de vídeo. O policial que está na central de monitoramento e que flagra alguma irregularidade pode emitir um alerta ao autor do delito.

O secretário de Defesa Social da Serra, Ledir Porto, conta que a medida deu certo no município e ajudou a reduzir em 60% o número de ocorrências policiais na orla em 2007, se comparado aos números de 2006. “Quem trabalha na central de monitoramento vai dar o alerta ao pedestre que atravessa fora da faixa, ao motorista que estaciona em local irregular; há um equipamento de áudio acoplado e há um microfone na central. Aí o policial alerta: ‘você que está com roupa tal e que atravessou fora da faixa, atravesse na faixa destinada aos pedestres’, é assim”, explicou.

Os equipamentos também serão usados para punir infrações de trânsito, afirma o secretário. “Quando um motorista estacionar em local proibido ou ultrapassar sinal vermelho ele será autuado. Se um motorista for chamado atenção e continuar com o delito ele pode ser multado mesmo sem a presença do agente porque a placa dele vai estar gravada na imagem”, disse.

O subsecretário da Guarda Civil Municipal de Vitória, coronel José Gomes Rodrigues, disse que as câmeras instaladas na capital capixaba podem mudar de localização por pelo menos 60 vezes ao ano. Algumas delas vão contar com o equipamento de áudio, que permite emitir o alerta do delito no momento em que ele acontece. “Na Curva da Jurema, por exemplo, nós podemos usar essas câmeras para orientar pais a não deixarem os filhos sozinhos, que tomem cuidados com o mar, além de informar a profundidade das praias”, contou.

O coronel também revelou que as chamadas ‘câmeras tagarelas’ podem ajudar muito no trânsito da capital. “Em Vitória há um problema de mobilidade. É o momento em que essa câmera entra em ação e adverte uma pessoa para que desobstrua a pista”. Sobre o constrangimento que pode ser gerado pelo alerta, coronel José Gomes disse: “Num primeiro momento a pessoa que está sendo foco dessa abordagem nem vai perceber que está sendo abordada. Você tem que tratar aquela pessoa da melhor maneira possível, respeitosamente”, explica.

O secretário Ledir Porto adiantou que o recurso será usado durante um evento no próximo dia 20, em Nova Almeida, na Serra. “As câmeras são móveis, nós vamos levar algumas para Nova Almeida e tudo estará sendo monitorado”.

A instalação de câmeras na orla da Serra começou na última sexta-feira (28). Antes disso, o sistema foi testado no bairro Serra Sede, segundo Ledir Porto. Os equipamentos são colocados em pontos estratégicos com recursos da prefeitura do município. Além das câmeras, a Polícia Militar continua com o patrulhamento ostensivo nos municípios que adotaram o videomonitoramento.

Origem: http://gazetaonline.globo.com/noticias/minutoaminuto/local/local_materia.php?cd_matia=389546&cd_site=843

Marcelo Peres
Editor do Guia do CFTV

Avalie esta notícia, mande seus comentários, de suas sugestões. Encontrou alguma informação incorreta ou algum erro no texto?

Escreva para mim:
mpperes@guiadocftv.com.br

Eng° Marcelo Peres

Eng° Eletricista Enfase em Eletrônica e TI, Técnico em Eletrônica, Consultor de Tecnologia, Projetista, Supervisor Técnico, Instrutor e Palestrante de Sistemas de Segurança, Segurança, TI, Sem Fio, Usuário Linux.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.