Segurança Pública do Amazonas expandirá projeto de monitoramento

Até o final de 2008, serão 400 equipamentos implantados na capital do estado. 

São Paulo,  junho de 2008 – Após registrar uma queda de 70% na criminalidade nos locais monitorados por câmeras, a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas deseja ampliar o projeto de monitoramento por vídeo e adquirir cerca de 170 novos equipamentos. Hoje as 232 câmeras existentes são da marca Axis, com transmissão por IP, distribuídos pela Anixter Brasil através revenda Eyes nWhere. O objetivo desta ampliação é dar maior cobertura à área monitorada, que inclui as principais vias públicas da cidade de Manaus, aumentando a vigilância e oferecendo mais segurança à  população local de mais de 1,7 milhão de habitantes.

Essa nova aquisição constituirá a terceira fase de um projeto de mais de R$ 8 milhões, que começou em 2006 e mantém as câmeras  gerenciadas por uma central de monitoramento, funcionando 24 horas por dia durante toda a semana sob o sistema Apolo, desenvolvido pela Eyes nWhere. "Esse é um projeto que tem grande aceitação pública e tem trazido muitos benefícios ao estado. Por essa razão, os investimentos devem continuar", afirma Ari Gomes Firmino, gerente de telemática da Secretaria de Segurança Pública de Manaus.

O gerente explica que atualmente a população não se sente vigiada pelas câmeras. "Quando precisamos mudar algumas câmeras de lugar, as pessoas querem saber o porquê. Ao contrário do que se possa imaginar, os cidadãos não vêem nas câmeras a perda de privacidade. Eles se sentem protegidos", enfatiza Firmino, acrecentando que "até hoje, não foi registrado nenhum caso de vandalismo sobre o sistema".

Assim, com esta nova fase e uma câmera instalada a aproximadamente cada 530 m, Manaus conseguirá otimizar ainda mais a atuação do seu efetivo de policiais. Cada equipamento realiza o trabalho preventivo de cerca de 20 policiais, pela área de cobertura de cada câmera, e o efetivo pode ser remanejado para outras áreas sem cobertura ou para outros serviços de suporte à população. Além disso, as câmeras tornarão a área de monitoramento bem mais abrangente. Assim que elas identificarem um infrator, a central poderá rapidamente acionar a viatura mais próxima. "Quando essa ação é feita por policiais na rua, com a participação do centro de operações, que visualiza e coordena a ação, a eficiência se torna maior", observa o gerente.

Mas as câmeras não aumentam apenas a segurança. Elas também ajudam a salvar vítimas, localizar pessoas desaparecidas e a reduzir em 30% os chamados indevidos no atendimento emergencial 190. "Nas duas primeiras fases, registramos mais de 1200 ocorrências de acidentes nas ruas, conseguimos diminuir de 40 para 5 minutos o tempo de socorro às vítimas de trânsito, salvamos uma senhora que sofreu um infarto e localizamos crianças desaparecidas em ônibus", detalha Firmino.

Além disso, essa infra-estrutura de vídeo permite armazenar imagens por 50 dias, o que agiliza a identificação de infratores, e oferecer mais segurança a turistas. "É um projeto complexo e grandioso, que traz benefícios a todos os envolvidos. Para nós, o desafio foi aliar a demanda à eficiência e aos custos competitivos. Acreditamos que deu certo porque estamos presentes em todas as fases do negócio", diz Amilton de Lucca, diretor presidente da Eyes nWhere.

Para José Roberto Carrara Júnior, gerente de produtos da Anixter, a distribuidora contribuiu ao fornecer soluções completas em curto prazo. "Quando o cliente vem até nós, analisamos toda a situação para depois oferecer um serviço completo. Não basta vendermos somente o que o cliente deseja, apresentamos alternativas, aceleramos o processo logístico e ainda oferecemos suporte no pós-venda. Nossa meta é dar consultoria e gerenciamento completos".

 

Origem: Segs.com.br

 
Marcelo Peres
Editor do Guia do CFTV

Avalie esta notícia, mande seus comentários e sugestões. Encontrou alguma informação incorreta ou algum erro no texto?

Escreva para mim:
mpperes@guiadocftv.com.br

Importante:

‘Todos os Conteúdos divulgados decorrem de informações provenientes das fontes aqui indicadas,
jamais caberá ao Guia do CFTV qualquer responsabilidade pelo seu conteúdo, veracidade e exatidão.
Tudo que é divulgado é de exclusiva responsabilidade do autor e ou fonte redatora.’

Eng° Marcelo Peres

Eng° Eletricista Enfase em Eletrônica e TI, Técnico em Eletrônica, Consultor de Tecnologia, Projetista, Supervisor Técnico, Instrutor e Palestrante de Sistemas de Segurança, Segurança, TI, Sem Fio, Usuário Linux.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.