Cascavel – Empresários desconfiam de licitação direcionada

Denúncia
feita por representantes de empresas de tecnologia e informática do
núcleo setorial da Acic (Associação Comercial e Industrial de Cascavel)
à Mesa Diretiva da Câmara de Vereadores indica que a concorrência para
a compra de câmeras de vigilância pela Prefeitura de Cascavel – que
será aberta quarta-feira – será direcionada para uma empresa de
Curitiba que atua no setor de instalação de pardais e sistemas de
vigilância.

Presidente da Câmara acompanhará processo

Segundo a denúncia encaminhada também ao Jornal Hoje,
todo o processo de concorrência sofreu alterações com o propósito único
de beneficiar a Fiscal Tech, contemplando-a para que seja a vencedora
em virtude da característica dos equipamentos e dos requisitos que
foram exigidos como necessários.

Segundo o Núcleo, as informações
da prefeitura mostram que já houve três pedidos de impugnação e que
todos foram rejeitados pela comissão de licitação. As empresas Digitemp
– Sistemas Automação e Segurança Eletrônica, Engebras S.A. Indústria,
Comércio e Tecnologia de Informática, Megatech Controls Ltda. e também
a Telemática Sistemas Inteligentes Ltda. entraram com manifestações
contrárias à forma com que a concorrência está sendo conduzida.
Segundo empresários do ramo de informática, a comissão de licitações
estaria fazendo todos os esforços para que somente a empresa de
Curitiba esteja habilitada a participar da concorrência, pois estão
caracterizando os equipamentos de forma que outras empresas não tenham
condições de participar, já que a limitação dos dados técnicos do
equipamento cria condições de direcionamento.


FISCALIZAÇÃO
O presidente da Câmara de Vereadores, Julio Cesar Leme da Silva,
declarou ontem que acompanhará a abertura das propostas. “E qualquer
indício de irregularidade será denunciado e investigado pela Câmara”,
afirmou.
“Sabemos da necessidade de ampliarmos, por meio das câmeras, o trabalho
da segurança pública em Cascavel, mas não podemos aceitar que essa
concorrência, que chega a quase R$ 4 milhões, não seja realizada de
forma transparente, que atenda o interesse da qualidade do produto e o
melhor preço”, afirmou Julio Cesar.
O presidente da Câmara lembra que a Prefeitura de Cascavel já teve
problemas com a informatização da saúde, em que a empresa contratada
para instalar o sistema – de Maringá -, ao preço de R$ 2 milhões, não
realizou o serviço e trouxe transtornos ao sistema de saúde.

Origem: JHoje


Marcelo Peres
Editor do Guia do CFTV

Avalie esta notícia, mande seus comentários e sugestões. Encontrou alguma informação incorreta ou algum erro no texto?

Escreva para mim:
mpperes@guiadocftv.com.br

Importante:

‘Todos os Conteúdos divulgados decorrem de informações provenientes das fontes aqui indicadas,
jamais caberá ao Guia do CFTV qualquer responsabilidade pelo seu conteúdo, veracidade e exatidão.
Tudo que é divulgado é de exclusiva responsabilidade do autor e ou fonte redatora.’

Eng° Marcelo Peres

Eng° Eletricista Enfase em Eletrônica e TI, Técnico em Eletrônica, Consultor de Tecnologia, Projetista, Supervisor Técnico, Instrutor e Palestrante de Sistemas de Segurança, Segurança, TI, Sem Fio, Usuário Linux.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.