Problemas nas câmeras de Cuiabá

Apenas quatro das nove câmeras de vigilância eletrônica instaladas nas
ruas da área central de Cuiabá continuam funcionando. A desativação das
outras cinco aconteceu há cerca de oito meses por causa do rompimento
do contrato com a empresa de manutenção e troca de peças. Como se isso
não bastasse à insegurança, também venceu o prazo de 120 dias
determinado para a instalação de 51 novas câmeras nos centros
comerciais de Cuiabá e Várzea Grande e bairros da periferia das duas
cidades. O serviço sequer teve início.

A falha se dá diante de vários assaltos cometidos contra lojas do Centro da Capital nas últimas semanas. A data final de conclusão das obras e entrada em funcionamento dos equipamentos seria 30 abril, embora nada tenha sido visto na cidade que aponte que a instalação esteja em andamento. As câmaras antigas estão em ruas como a tradicional 13 de junho, Ricardo Franco, Praça Ipiranga, no cruzamento das avenidas Getúlio Vargas e Tenente-coronel Duarte (Prainha) e também na Prainha com o Morro da Luz.

Já a nova rede de vigilância eletrônica deveria ter espalhado mais câmaras pelas ruas do Centro e estendido o mecanismo de segurança para avenidas como a Coronel Escolástico e Fernando Correa da Costa, Praça 8 de Abril (do Choppão) e praças e áreas comerciais de bairros como Pedra 90, Morada da Serra, Parque Cuiabá e Tijucal.

A Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), responsável pelos dois projetos, informa que no próximo dia 15 de maio será realizado pregão presencial para aquisição do serviço de manutenção da rede de vigilância para um período de 12 meses. A empresa ganhadora deve assinar contrato no prazo de 10 dias após esse processo de escolha ser concluído e começar atuar dois dias depois.

No caso das câmeras novas, o coordenador do Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp), major César Brun, informou na sexta-feira, 30, que o prazo estava vencendo oficialmente naquele dia e que antes não poderia adotar medidas de punição contra a empresa contratada. Multa no valor de R$ 90 mil está entre as penalidades previstas.

O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Cuiabá, José Alberto Aguiar, declara que os comerciantes estão muito preocupados com a desativação das câmeras antigas e com a demora no funcionamento dos novos equipamentos.

Na semana passada, o serviço de segurança eletrônica foi um dos assuntos da pauta de reunião entre os representantes da CDL e o secretário de Justiça e Segurança Pública do Estado, Diógenes Curado Filho. Os lojistas cobraram a reativação das antigas, instalação das novas e tiveram o acesso à lista dos pontos das 51 novas câmeras, que ainda desconheciam.

Aguiar disse que os locais onde ficarão essas câmeras podem ser benéficos do ponto de vista da segurança geral das duas cidades, mas não atendem as necessidades do comércio. Por isso, conforme Aguiar, a CDL tentará priorizar o setor com a chegada dos equipamentos que o município deverá dispor.

De acordo com ele, durante reunião recente com lideranças empresariais, o prefeito de Cuiabá, Wilson Santos, acenou com a possibilidade de ingresso do município na rede de monitoramento eletrônico das ruas com a aquisição de 15 ou 20 câmeras para reforçar o serviço de segurança pública.

 

Origem: http://www.diariodecuiaba.com.br

 
Marcelo Peres
Editor do Guia do CFTV

Avalie esta notícia, mande seus comentários e sugestões. Encontrou alguma informação incorreta ou algum erro no texto?

Escreva para mim:
mpperes@guiadocftv.com.br

Importante:

‘Todos os Conteúdos divulgados decorrem de informações provenientes das fontes aqui indicadas,
jamais caberá ao Guia do CFTV qualquer responsabilidade pelo seu conteúdo, veracidade e exatidão.
Tudo que é divulgado é de exclusiva responsabilidade do autor e ou fonte redatora.’

Eng° Marcelo Peres

Eng° Eletricista Enfase em Eletrônica e TI, Técnico em Eletrônica, Consultor de Tecnologia, Projetista, Supervisor Técnico, Instrutor e Palestrante de Sistemas de Segurança, Segurança, TI, Sem Fio, Usuário Linux.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.