Câmeras derrubam o número de homicídios em São Carlos

De janeiro a março, o município registrou três homicídios, sendo que no
mesmo período de 2008 ocorreram sete. Em Rio Claro, as duas ocorrências
saltaram para sete em um ano.

Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP-SP), em 2008 Rio Claro houve uma taxa de 6,8 por 100 mil habitantes. Mais ao norte, São Carlos registrou uma média de 6,7 no ano passado.

Nas outras modalidades de delitos por 100 mil habitantes, Rio Claro só perde para São Carlos quando se trata de furtos: foram 1.178,8 e 1.297,79 respectivamente. Porém, o que mais chama a atenção na comparação entre os dois municípios é a evolução de homicídios registrados entre janeiro e março de 2008 e 2009. Em São Carlos, as sete mortes caíram para três, enquanto na Cidade Azul os assassinatos mais que triplicaram, indo de dois para sete – praticamente o caminho inverso.

A diferença, talvez, esteja na sequência do plano de segurança pública na Capital da Tecnologia. O prefeito Oswaldo Barba (PT) assumiu o governo neste ano e no plano de metas da administração estão previstos investimentos de R$ 13 milhões em quatro anos na segurança do município. O atual prefeito está dando continuidade ao trabalho iniciado pelo seu antecessor, o ex-prefeito Newton Lima (PT).

O Plano Municipal Integrado de Segurança Pública, implantado em 2001, prevê a prefeitura como catalisadora de um processo de articulação e integração dos setores envolvidos com o enfrentamento da violência, incorporando também a participação da sociedade. O entendimento é que as manifestações de violência pedem mais que ações meramente repressivas.

Coordenado pela Secretaria Municipal de Governo, participaram da sua elaboração representantes da Prefeitura, Câmara Municipal, Polícia Militar e do Conselho Comunitário de Segurança (Conseg). Principais ações do plano foram a criação da Guarda Municipal e dos Agentes de Trânsito (funções exercidas pela PM), dos Fundos Municipais de Segurança Pública e do Corpo de Bombeiros, apoio material às Polícias Civil, Militar, Ambiental e Corpo de Bombeiros.

O Plano de Segurança recebeu o prêmio Gestão Pública e Cidadania 2005 e concorreu com 724 iniciativas desenvolvidas por governos estaduais, municipais e organizações indígenas. Somente neste ano, a prefeitura adquiriu 16 câmeras de vigilância (no valor de R$ 70 mil), sendo que já existem quatro em funcionamento na região central do município. A PM está cuidando da instalação de acordo com a ocorrência de crimes mapeada, em parceria com Instituto de Física da USP São Carlos.

No ano passado, foram repassados R$ 635 mil em equipamentos para as polícias Militar e Civil (14 automóveis, 6 motos, computadores, impressoras, câmeras de vigilância e outros aparelhos). A prefeitura colabora ainda com a manutenção de órgãos estaduais de segurança, e foram repassados nos últimos quatro anos R$ 400 mil para a PM e R$ 770 mil para a Polícia Civil. O município criou ainda o Fundo dos Bombeiros (Febom), que destinou à corporação R$ 1,1 milhão desde 2005.

Origem: Jornal da Cidade UOL

 
Marcelo Peres
Editor do Guia do CFTV

Avalie esta notícia, mande seus comentários e sugestões. Encontrou alguma informação incorreta ou algum erro no texto?

Escreva para mim:
mpperes@guiadocftv.com.br

Importante:

‘Todos os Conteúdos divulgados decorrem de informações provenientes das fontes aqui indicadas,
jamais caberá ao Guia do CFTV qualquer responsabilidade pelo seu conteúdo, veracidade e exatidão.
Tudo que é divulgado é de exclusiva responsabilidade do autor e ou fonte redatora.’

Eng° Marcelo Peres

Eng° Eletricista Enfase em Eletrônica e TI, Técnico em Eletrônica, Consultor de Tecnologia, Projetista, Supervisor Técnico, Instrutor e Palestrante de Sistemas de Segurança, Segurança, TI, Sem Fio, Usuário Linux.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.