Câmeras reduzem assaltos a ônibus em Fortaleza

Nos quatro primeiros meses deste ano, 223 assaltos a ônibus foram
registrados em Fortaleza, média de 1,86 ocorrência por dia. Os números
são menores que o mesmo período de 2008, quando a média foi de 2,41
ocorrências diárias.

Entre janeiro e abril deste ano, 223 assaltos a ônibus foram registrados em Fortaleza, segundo dados do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus). A média é de quase dois registros por dia (1,86), o que corresponde a quase 56 ocorrências de assaltos a coletivos a cada mês. Números que mostram uma realidade de insegurança presente na vida de usuários, cobradores e motoristas.

Há pouco mais de um mês o auxiliar de cozinha Cristiano Correia, 19, estava voltando para casa, por volta de 1 hora da manhã, quando o ônibus que faz a linha Grande Circular foi assaltado. “Só percebi depois. O ladrão chegou, ficou perto do cobrador e depois saiu. Foi bem rápido e não chamou a atenção dos outros passageiros. Depois tivemos de ficar um tempão na delegacia, para registrar a ocorrência”, diz Cristiano.

Por dois anos o motorista Antônio Neto trabalhou nas linhas do Serviluz, um dos bairros mais temidos por cobradores e motoristas. Mas foi trabalhando na linha Varjota/Papicu que ele foi assaltado, há aproximadamente dois meses. “Trabalho naqueles micro-ônibus em que sou também o cobrador. O assaltante subiu e encostou uma peixeira em mim. Dei o dinheiro e, felizmente, ele não fez nada”, destaca Neto.

Apesar de os números de 2009 serem expressivos, os dados apontam que houve uma redução quando comparado com igual período do ano passado. Em 2008 foram registrados 290 assaltos, média de 2,41 ocorrências diárias. De acordo com Dimas Barreira, diretor técnico do Sindiônibus, as operações para reduzir o número começaram em 2004, quando o ano fechou com mais de três assaltos por dia a coletivos. Câmeras de segurança foram instaladas nos coletivos para inibir a ação. E o assalto tornou-se menos lucrativo nos últimos anos. “A implantação do passecard diminuiu a quantidade de dinheiro com o cobrador”, explica Barreira.

O diretor do Sindiônibus também destaca que, nos próximos dias, a Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops) passará a saber em tempo real quando um coletivo estiver sendo assaltado. Com a medida, a Polícia seria acionada mais rapidamente e conseguiria prender os ladrões. Barreira não revela como será o mecanismo de acionamento do sistema. “Implantamos um sistema de rastreamento (GPS) que permite saber a localização do ônibus. Se o motorista precisou desviar a rota ou está muito tempo parado”.

Ele também explica que foram gastos mais de R$ 4,5 milhões com câmeras de vigilância. O objetivo com o aparelho é facilitar a identificação dos bandidos. Antes, explica Barreira, a Polícia prendia, mas era difícil a identificação dos criminosos, que acabavam sendo liberados. “Agora com essa prova isso não acontece. Queremos acabar o máximo possível com o uso do dinheiro. É um risco à vida de cobradores, motoristas e passageiros”.

Origem: O Povo

 
Marcelo Peres
Editor do Guia do CFTV

Avalie esta notícia, mande seus comentários e sugestões. Encontrou alguma informação incorreta ou algum erro no texto?

Escreva para mim:
mpperes@guiadocftv.com.br

Importante:

‘Todos os Conteúdos divulgados decorrem de informações provenientes das fontes aqui indicadas,
jamais caberá ao Guia do CFTV qualquer responsabilidade pelo seu conteúdo, veracidade e exatidão.
Tudo que é divulgado é de exclusiva responsabilidade do autor e ou fonte redatora.’

Eng° Marcelo Peres

Eng° Eletricista Enfase em Eletrônica e TI, Técnico em Eletrônica, Consultor de Tecnologia, Projetista, Supervisor Técnico, Instrutor e Palestrante de Sistemas de Segurança, Segurança, TI, Sem Fio, Usuário Linux.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.