Zona Norte do RJ receberá câmeras de segurança do PAN e pontos eletrônicos

Utilização de câmeras de monitoramento urbano, implantação de ponto eletrônico e criação de um novo batalhão de Polícia Militar nas dependências da Ceasa. Estas foram algumas das propostas apresentadas durante a primeira reunião do Fórum de Segurança Pública da Zona Norte, realizado no dia 18 de agosto (terça-feira),pela Comissão Especial para o Cumprimento das Leis (Cumpra-se) da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), presidida pelo deputado Pedro Fernandes (DEM).

O encontro ocorreu no clube Casa de Espinho, em Vista Alegre. “Este foi o primeiro passo, pois a população destes bairros não aguenta mais conviver com este problema. Tenho certeza de que cada uma das pessoas que estiveram no fórum tem uma história de violência para contar. Temos que mudar este quadro”, afirmou o parlamentar, que é morador da região.

De acordo com o subsecretário de Planejamento e Integração Operacional da Secretaria de Segurança Pública, Roberto Sá, o Governo pretende instalar parte das 300 câmeras remanescentes dos Jogos Panamericanos na região atendida pelo 9º Batalhão de Polícia Militar (BPM), que fica em Rocha Miranda e hoje é recordista em registros de ocorrências criminais. “Esta região será a primeira a receber estas câmeras, num projeto em parceria com a Secretaria de Ciência e Tecnologia”, afirmou ele, acrescentando que resultados positivos deverão aparecer a partir da implantação das Regiões Integradas de Segurança Pública (Risps), criadas para integrar as ações das polícias Civil e Militar. “Serão realizadas reuniões trimestrais entre delegados e comandantes de batalhões, para propor soluções e realizar ações com metas. Reconhecemos que o problema da Zona Norte é muito sério, mas estamos falando aqui de soluções de longo prazo, e isto leva tempo e planejamento”, afirmou Sá. Segundo ele, a Secretaria de Ciência e Tecnologia está finalizando a elaboração do orçamento necessário para a implantação do projeto de monitoramento por câmeras.

Além disso, a região atendida pelo 9º BPM, que hoje engloba cerca de 25 bairros e 97 comunidades carentes, irá diminuir a partir da criação de um novo batalhão, nas dependências da Ceasa, em Irajá. Com efetivo estimado de 400 homens, a nova unidade irá funcionar em parceria com três delegacias, que hoje atuam na área do batalhão de Rocha Miranda. “É importante frisar que já existe uma previsão de efetivo para este batalhão, pois a política da secretaria hoje determina que só se pode criar novas unidades se tivermos efetivo para isso. O que acontecia antes era a criação de batalhões a partir do remanejamento de policiais, o que muitas vezes desguarnecia unidades já existentes. Não queremos isso, queremos desburocratizar a corporação”, acrescentou.

Comandante do 9º batalhão, o tenente-coronel Edvaldo Camelo da Costa falou sobre a implantação do ponto eletrônico, que estabelece locais onde os policiais deverão passar e registrar sua presença durante a sua ronda, na área atendida pela unidade. Segundo ele, serão utilizados policiais que trabalhavam em três postos de policiamento comunitários desativados. Segundo o comandante, 80% das ocorrências em sua área de atuação são registradas no período entre 18h e 23h. “É em cima destas estatísticas que iremos pautar nossas ações”, justificou Camelo da Costa, que está há cerca de um mês à frente do batalhão.

De acordo com o deputado Pedro Fernandes, autor de indicações que pedem a instauração do ponto eletrônico e a criação do batalhão nas dependências da Ceasa, as medidas anunciadas precisam se somar aos esforços da Divisão de Roubos e Furtos de Automóveis da Polícia Civil em reduzir os índices de roubos e furtos de carros nesta região. “Só entre janeiro e abril deste ano já foram registrados 1.340 casos de roubos de veículos nesta circunscrição”, disse o parlamentar. Representante da divisão, a delegada Fátima Bastos anunciou a criação de um depósito a ser construído na Rodovia Presidente Dutra, em um terreno do Departamento Nacional de Infra-estrutura de Transportes (Dnit), para armazenar peças apreendidas em ferros velhos, por não terem origem comprovada. “Com esta ação, pretendemos sufocar o receptador, o que deve resultar na queda destes índices”, afirmou a delegada.

Pedro Fernandes afirmou, ainda, que irá protocolar na Alerj um projeto de lei que proíbe a circulação de veículos com mais de 30% de avaria após acidentes: “Estes veículos são revendidos e usados para ‘esquentar’ peças de carros roubados. Com isto, esperamos também contribuir para a diminuição destas ocorrências”. A Comissão do Cumpra-se pretende, agora, marcar novas reuniões do Fórum de Segurança, para cobrar resultados das ações apresentadas nesta primeira edição e para levar a discussão a outros pontos atendidos pelos dois batalhões.

 

Origem: http://www.revistafator.com.br/

 
Marcelo Peres
Editor do Guia do CFTV

Avalie esta notícia, mande seus comentários e sugestões. Encontrou alguma informação incorreta ou algum erro no texto?

Escreva para mim:
mpperes@guiadocftv.com.br

Importante:

‘Todos os Conteúdos divulgados decorrem de informações provenientes das fontes aqui indicadas,
jamais caberá ao Guia do CFTV qualquer responsabilidade pelo seu conteúdo, veracidade e exatidão.
Tudo que é divulgado é de exclusiva responsabilidade do autor e ou fonte redatora.’

Eng° Marcelo Peres

Eng° Eletricista Enfase em Eletrônica e TI, Técnico em Eletrônica, Consultor de Tecnologia, Projetista, Supervisor Técnico, Instrutor e Palestrante de Sistemas de Segurança, Segurança, TI, Sem Fio, Usuário Linux.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.