Guarda Municipal de Fortaleza será integrada ao Ciops

Ligações feitas pelo 190 poderão ser atendidas por guardas municipais. A integração dos serviços deve começar em dezembro, com a instalação de uma ilha da Guarda Municipal de Fortaleza (GMF) na sede do Ciops, e com a integração de sistema de CFTV.

Ricardo Moura
da Redação

27/11/2006 02:32

A partir de dezembro, as ações da Guarda Municipal de Fortaleza (GMF) passam a ser integradas ao Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops). A informação é do diretor da Guarda Municipal, Arimá Rocha. Segundo ele, os guardas usarão a mesma freqüência de rádio comunicação da Polícia Militar, fazendo com que as chamadas de emergência possam ser atendidas pela GMF. Para tanto, será instalada uma ilha (central de atendimento de chamadas) específica para a Guarda no Ciops, assim como acontece com a PM, a Polícia Civil e o Corpo de Bombeiros.

Inicialmente, a integração funcionará em um período de 12 horas por dia. O objetivo, nos meses seguintes, é fazer com que o atendimento seja ampliado para 24 horas diárias. Segundo Arimá Rocha, a integração é um caso único no Brasil e a primeira etapa no processo de ampliação da presença da Guarda Municipal na cidade. Constitucionalmente, a GMF é responsável pela segurança do patrimônio histórico, cultural e ambiental da cidade, como praças, museus e parques ambientais mantidos pela Prefeitura.

Para Arimá Rocha, o aumento do efetivo, por meio do concurso público, permitirá à Guarda Municipal estar em algumas áreas da cidade como o Centro de Fortaleza e as áreas de lazer da Praia de Iracema, Beira Mar e Barra do Ceará. “Vamos reforçar a nossa ação no Centro de Fortaleza, aumentando o número de guardas de cinco para 20, no mínimo. Ocorrências de pequeno porte, como furtos e danos ao patrimônio poderão ser atendidas pela Guarda Municipal. Com isso, a PM ficará liberada para agir em áreas mais críticas da cidade”, disse.

Embora a Guarda Municipal possa ser acionada pelo 190, ela não pode assumir o papel de Polícia. Além das restrições constitucionais no que diz respeito à sua atuação, os guardas municipais não podem andar armados. Para que isso ocorra, o Estatuto do Desarmamento prevê que antes sejam criadas uma Ouvidoria e uma Corregedoria. A GMF também não poderá ser acionada em ocorrências como roubos ou arrombamentos.

Arimá Rocha garantiu que esta sobreposição de funções não irá ocorrer. “A integração da Guarda com a Polícia Militar tira a sobrecarga da PM, para que ela possa cuidar de crimes de grande porte. 95% das ocorrências são de pequeno porte, que podem ser administradas pela Guarda Municipal. Não temos a intenção de substituir a Polícia. Quem comanda são as polícias Militar e Civil. O que a Guarda pode fazer é uma parceria com estes órgãos. Queremos apenas contribuir”, afirmou.

Segundo o diretor da GMF, a integração só se tornou possível graças à prefeita Luizianne Lins. “o Governo do Estado há muito tempo queria fazer a integração, mas as gestões municipais anteriores não tinham esta visão. Houve várias tentativas, mas sempre houve resistência. Faltava visão profissional”. Sobre a atual relação entre as forças de segurança do Estado, Arimá Rocha diz que mantém “relacionamentos excelentes com as outras forças policiais”.

A integração ao Ciops é um dos resultados do convênio de cooperação técnica assinado pelo Governo do Estado e pela Prefeitura Municipal de Fortaleza, em novembro do ano passado. Esta parceria já ocorre atualmente com o Controle de Tráfego em Área de Fortaleza (CTAfor), que disponibiliza as imagens feitas pelas câmeras de monitoramento do trânsito à Polícia Militar, nas operações em conjunto envolvendo órgãos dos dois níveis e na integração dos serviços do Sistema de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), da Prefeitura, e do Grupamento de Socorro de Urgência (GSU), do Governo do Estado.

CTAFOR

O Controle de Tráfego em Área de Fortaleza (Ctafor) é formado por uma gerência de operações, com sete engenheiros de tráfego; uma gerência de planejamento, composta por dois técnicos, e a central de controle, que conta com um engenheiro plantonista e dois operadores. Três sistemas complementares de controle de tráfego fazem parte do Ctafor:

CFTV
O sistema de circuito fechado de TV (CFTV) do Ctafor abrange 30 câmeras nos principais cruzamentos da cidade. As câmeras podem ser controladas por computadores ou manualmente. Elas são capazes de girar em um ângulo de 360 graus na horizontal, além de contar com um zoom óptico de 22 vezes e um zoom digital de 8 vezes. As imagens são transmitidas para 20 monitores e um telão. Qualquer ocorrência de maior gravidade é informada à Divisão de Operação e Fiscalização de Trânsito da Autarquia Municipal de Trânsito (AMC), localizada no mesmo espaço do Ctafor.

PMV
O sistema de painéis de mensagens variáveis (PMV) alerta os motoristas sobre mudanças ocorridas ao longo de seus itinerários. De posse dessas informações, os motoristas podem alterar seu trajeto, evitando vias e cruzamentos cujo tráfego esteja comprometido. Há 20 painéis instalados em toda a Fortaleza. Além de informar e dar informações sobre o trânsito, os PMVs divulgam mensagens educativas, institucionais e pedidos de doação de sangue ao Hemoce. De acordo com o diretor do CTAfor, Marcus Vinícius Teixeira, não há como mensurar o retorno obtido com tais mensagens. No caso do Hemoce, contudo, Teixeira afirma que o retorno é “muito bom”.

SCOOT
Os semáforos que fazem parte do sistema Scoot são controlados por computador e podem ser ajustados de acordo com informações recebidas por um laço detector, um sensor que capta a quantidade de veículos que passa por um trecho determinado. Dependendo do fluxo, o tempo do semáforo pode ser reduzido ou ampliado. Na Capital, existem 208 cruzamentos com esta tecnologia. Segundo o Ctafor, em alguns corredores da cidade, o sistema reduziu os atrasos em 40% e aumentou a velocidade dos veículos em 20%.

Fonte: Controle de Tráfego em Área de Fortaleza (CTAfor)

SAIBA MAIS

Funções da Guarda Municipal
– Proteção preventiva e ostensiva dos bens patrimoniais da Prefeitura de Fortaleza.
– Manter a segurança pessoal do Prefeito e Vice-Prefeito.
– Executar serviços de vigilância.
– Auxiliar a Defesa Civil do Município.
– Auxiliar no serviço de orientação e salvamento de banhistas nas praias e parques de Fortaleza.
– Auxiliar no controle das filas de usuários nos terminais de transportes coletivos urbanos.

Áreas de atuação
– Órgãos e equipamentos públicos municipais: Paço Municipal, gabinete do Prefeito, gabinete do Vice-Prefeito, Secretarias Municipais, Secretarias Regionais, Hospitais Públicos Municipais, Museus e Bibliotecas.
– Ronda Escolar: creches e escolas da rede municipal de ensino.
– Pelotão Ambiental: Parque Rio Branco, Horto Florestal e Parque Adahil Barreto.
– Proteção do patrimônio histórico, cultural e ambiental da cidade.

Fonte: site da Guarda Municipal de Fortaleza – www.gmf.fortaleza.ce.gov.br.

Marcelo Peres
Editor do Guia do CFTV

Avalie esta notícia, mande seus comentários, de suas sugestões. Encontrou alguma informação incorreta ou algum erro no texto?

Escreva para mim:
mpperes@guiadocftv.com.br

Eng° Marcelo Peres

Eng° Eletricista Enfase em Eletrônica e TI, Técnico em Eletrônica, Consultor de Tecnologia, Projetista, Supervisor Técnico, Instrutor e Palestrante de Sistemas de Segurança, Segurança, TI, Sem Fio, Usuário Linux.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.