Segurança patrimonial: novas soluções estimulam o setor

Plataforma que integra sistema de alarme e câmeras se destaca por oferecer bom custo-benefício para pequenas e médias empresas

Em tempos de crise e insegurança, cresce a demanda das empresas por proteção patrimonial em todo o mundo. Prova disso é que esse setor de serviços tem aumentado seus lucros em diversas regiões, como Estados Unidos, Europa e Ásia. A receita do mercado global de tecnologia e serviços de segurança deve chegar a 240 bilhões de dólares até 2020, segundo levantamento da Statista, consultoria alemã de pesquisa independente.

A tendência também vale no Brasil. O país é o 11º na lista dos mais inseguros do mundo, de acordo com a ONG americana Social Progress Imperative, que mediu a qualidade de vida em 132 nações. Isso explica os 6,52 bilhões de reais em vendas do setor de segurança eletrônica no Brasil em 2018, alta de 8% em comparação ao ano anterior, segundo dados da Pesquisa Nacional sobre Segurança Eletrônica, realizada para a Associação Brasileira das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança (Abese). Até o fim de 2019, o segmento espera fechar o ano com crescimento de 10%.

Entre os itens mais buscados pelas companhias estão as câmeras de monitoramento e os alarmes, que ajudam a garantir a segurança patrimonial. Um levantamento feito com as revendas em todo o Brasil da Intelbras, empresa que há mais de 40 anos atua em soluções de segurança, redes, comunicação e energia, relevou que a maior preocupação de pequenos e médios negócios é a necessidade de monitorar tanto dentro quanto fora da empresa.

Soluções como câmeras de vigilância podem inibir as atividades suspeitas e prevenir pequenos furtos que acontecem, por exemplo, no varejo, em lojas de roupas, calçados e supermercados. É por isso que câmeras digitais (IP) e analógicas são os produtos mais vendidos do setor de segurança pública e patrimonial.

Já para evitar casos de invasão, sistemas de alarmes identificam ameaças por meio de seus sensores que detectam movimento ou criam barreiras invisíveis. O empreendedor pode ter uma central de alarme monitorada – quando uma empresa terceira de segurança é acionada para verificar o motivo do disparo. Mas também é possível receber os avisos por aplicativos que ficam conectados aos aparelhos.

A possibilidade de monitorar o sistema de segurança pelo smartphone é uma boa opção para pequenas e médias empresas, principalmente por ter um bom custo-benefício. Tanto os sistemas de alarme quanto a solução de monitoramento CFTV (circuito fechado de televisão) da Intelbras podem ser controlados em tempo real por um aplicativo gratuito, o Intelbras Guardian, disponível para Android ou iOS.

A solução Guardian permite que os sistemas de monitoramento funcionem de maneira integrada. Por meio de uma inteligência em nuvem, os equipamentos podem ser coordenados para que eventuais perigos sejam detectados e capturados em foto ou vídeo. Funciona assim: se acontecer o disparo de um alarme, cujo sensor esteja associado a uma câmera, o sistema capta imagens do momento da intrusão e notifica o usuário pelo smartphone.

Origem: Exame

Sirlei Madruga de Oliveira

sirlei@guiadocftv.com.br

Guia do CFTV

 

Avalie esta notícia, mande seus comentários e sugestões. Encontrou alguma informação incorreta ou algum erro no texto?

 

Importante: ‘Todos os Conteúdos divulgados decorrem de informações provenientes das fontes aqui indicadas, jamais caberá ao Guia do CFTV qualquer responsabilidade pelo seu conteúdo, veracidade e exatidão. Tudo que é divulgado é de exclusiva responsabilidade do autor e ou fonte redatora.’

 

Quer enviar suas notícias? Envie um e-mail para noticias@guiadocftv.com.br

Sirlei Madruga

Sirlei Maria Guia do CFTV

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.