Vigilância ampliada em Piracicaba

Em Piracicaba – SP serão instaladas 21 câmeras no projeto de ampliação da vigilância urbana da cidade.

Vinte e uma câmeras do sistema Big Brother serão instaladas nos próximos 90 dias em Piracicaba segundo informou ontem o comandante da Guarda Civil, capitão Silas Romualdo. Estarão sendo beneficiados 16 bairros, onde alguns deles receberão mais de uma unidade, além de dois cruzamentos da área central. Com essas sobe para 60 o número de câmeras instaladas pela cidade. O investimento da prefeitura foi de aproximadamente R$ 750 mil, segundo o comandante.

As câmeras são geralmente instaladas em pontos onde há maior concentração de criminosos ou quando solicitadas por Consegs (Conselhos Municipais de Segurança). À medida em que a criminalidade vai aumentando em um ponto da cidade há um estudo e em seguida a colocação do equipamento. De acordo com o capitão Silas, depois que as câmeras começaram a ser instaladas – em fevereiro de 2007 – houve redução considerável da criminalidade em algumas ruas e avenidas de Piracicaba, mas ele não apresentou as estatísticas.

“Não temos como comparar dados por não termos completado ainda um ano do sistema e também porque as estatísticas são feitas pela Polícia Civil. Só podemos dizer, ao analisar o dia-a-dia, que os chamados diminuíram”, comenta o capitão. As câmeras, segundo a Guarda, são de alta precisão e algumas chegam a alcançar 12 quilômetros de extensão.

É o caso de uma que foi instalada na avenida Raposo Tavares e que permite aos controladores observar os jardins Novo Horizonte e Santa Fé. A Gazeta chegou a presenciar os guardas civis observando crianças brincando com skates em uma rua do Novo Horizonte, por meio da câmera da Raposo.

Elas permitem, ainda, que os operadores enxerguem perfeitamente a placa de um veículo a 230 metros e nitidamente a fisionomia de uma pessoa a 100 metros de distância. Os equipamentos conseguem aproximar imagens dos mais diversos tipos de crimes. De maio a dezembro do ano passado, segundo o coordenador da Cemel (Central de Monitoramento Eletrônico), Edvan Alves da Silva, foram registradas 509 ocorrências captadas pelas câmeras.

Há, segundo ele, cenas chocantes dependendo do crime. “Pegamos um homem que estava molestando, sexualmente, uma menina com problemas mentais e outro que estava mostrando a genitália a todos que passavam pelo Terminal Central de Integração”, explica.

A Central registrou ainda atos infracionais (crimes envolvendo menores de idade), acidentes de trânsito, agressões contra pessoas, localização de veículos furtados ou roubados, averiguações de suspeitos, desacatos às autoridades, flagrante de roubos, entre outros.

Nova bancada

A Central de Monitoramento Eletrônico tem hoje 16 operadores, entre guardas civis e policiais militares, que revezam o serviço 24 horas e acabam de ganhar uma nova bancada. Trata-se de uma mesa específica para operação de câmeras do sistema Big Brotlher. Com ela, segundo o capitão Silas, cada operador terá dois monitores com cinco câmeras instaladas em cada um.

“É que antes eles tinham um único monitor com a imagem de 10 câmeras. Visualizavam, mas era muita imagem ao mesmo tempo. Com dois monitores, eles vão ter mais espaço para visualizar melhor cada área”, declara.

Origem: http://www.gazetadepiracicaba.com.br/conteudo/mostra_noticia.asp?noticia=1555959&area=26050&authent=3AAF8F66F8BEA34BEEB872EBCFE27C#

Marcelo Peres
Editor do Guia do CFTV

Avalie esta notícia, mande seus comentários, de suas sugestões. Encontrou alguma informação incorreta ou algum erro no texto?

Escreva para mim:
mpperes@guiadocftv.com.br

Eng° Marcelo Peres

Eng° Eletricista Enfase em Eletrônica e TI, Técnico em Eletrônica, Consultor de Tecnologia, Projetista, Supervisor Técnico, Instrutor e Palestrante de Sistemas de Segurança, Segurança, TI, Sem Fio, Usuário Linux.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.